Em negocios / grandes-empresas

História da Lauda Air demonstra resiliência empreendedora de Niki Lauda

Companhia aérea de Niki Lauda fez com que ele retornasse às pistas e se tornasse tricampeão  

SÃO PAULO – Morreu na última segunda-feira (20) o piloto tricampeão de Fórmula 1 austríaco Niki Lauda, uma lenda do esporte. Conhecido principalmente pelo feito de voltar às pistas após um grave acidente em 1976, Lauda também se provou um empreendedor resiliente com sua companhia aérea, a Lauda Air.

A aérea foi criada em 1979, ano da primeira aposentadoria de Niki das pistas, começou a operar em 1985 e foi vendida à Austrian Airlines em 2003.

Em 2013, foi extinta definitivamente e substituída pela Austrian MyHoliday. Durante todo este período, o piloto mostrou que não pouparia esforços para manter vivo o seu sonho.

Quando a Lauda Air chegou ao mercado, a então estatal Austrian Airlines detinha o monopólio dos voos comerciais austríacos. No início, a aérea de Niki operava apenas voos charter (operados de acordo com a demanda) e táxi aéreo, até obter, em 1987, a licença para voos internacionais. Naquele momento, iniciou uma expansão agressiva.

Graças às dificuldades em estabelecer um negócio aéreo sustentável, Lauda resolveu voltar a correr em 1982 para garantir o financiamento da empresa. Em 1984, o piloto conquistou seu terceiro título da Formula 1, pela McLaren, e usou o prêmio para ajudar a restabelecer a companhia. Um ano depois, aposentou-se definitivamente do esporte.

O comercial abaixo, de 1990, mostra um momento em que a Lauda se orgulhava das suas operações de primeira classe com atendimento diferenciado. O slogan da empresa era “serviço é nosso sucesso”.

Outra grande crise da Lauda Air se deu quando, em 26 de maio 1991, a queda do voo Lauda Air 004 na Tailândia matou 223 pessoas, sendo 10 tripulantes.

Quando o governo austríaco estimulou a aquisição de 75% da Lauda Air pela Austrian Airlines, a intenção era concentrar as operações aéreas do país em um só grupo. Foi o que ocorreu em 2003.

Depois disso, o piloto chegou a criar outra companhia aérea, a FlyNiki, posteriormente rebatizada de Niki. Ela foi adquirida em 2011 pela Air Berlin.

Com a falência da empresa alemã em 2017, Lauda recomprou a maior parte dos ativos da Niki e criou a LaudaMotion. Em 2018, a aérea de baixo custo Ryanair adquiriu 75% das ações dessa última empresa para expandir suas operações à Áustria.

Invista para alcançar seus sonhos. Abra uma conta gratuita na XP. 

 

Contato