Em negocios / grandes-empresas

Bancos mantêm patrocínio de jantar de gala para Bolsonaro

Delta Air Lines e o Financial Times se uniram à Bain & Co. e suspenderam o patrocínio de um jantar de gala em Nova York em homenagem ao presidente

Jair Bolsonaro
(Marcos Corrêa/PR)

(Bloomberg) -- A Delta Air Lines e o Financial Times se uniram à Bain & Co. e suspenderam o patrocínio de um jantar de gala em Nova York em homenagem ao presidente Jair Bolsonaro.

Vários outros patrocinadores, incluindo grandes bancos, decidiram manter o patrocínio do evento anual realizado pela Câmara de Comércio Brasil-EUA desde 1970. O UBS disse por e-mail que o banco tem participado do jantar há mais de 12 anos, com “o único objetivo de promover o comércio” entre os dois países.

Embora homenageados anteriores do evento incluam ex-presidentes do Brasil e dos EUA, a escolha deste ano pode ter testado os limites de tolerância de alguns patrocinadores corporativos. Bolsonaro, que venceu as eleições no ano passado com uma plataforma de direita, atraiu críticas devido às suas opiniões sobre mudança climática e comentários depreciativos sobre minorias.

"Participar do jantar nunca significou, de maneira alguma, selecionar ou endossar o homenageado", disse o UBS por e-mail.

Credit Suisse, JPMorgan, Citigroup e BNP Paribas, que estão entre os patrocinadores do jantar, não quiseram comentar. HSBC, Bank of America Merrill Lynch e Morgan Stanley, que também estão na lista, não responderam imediatamente aos pedidos de comentários.

A Delta disse que não vai mais patrocinar o evento, marcado para o dia 14 de maio, mas não quis comentar a decisão. A Bain disse que decidiu suspender o patrocínio, apesar de apoiar a organização há muito tempo. O Financial Times confirmou que cancelou o patrocínio.

O Museu Americano de História Natural, onde o jantar de gala seria inicialmente realizado, disse em meados de abril que não sediaria mais o evento. Em um tuíte, o museu disse que não era o “local ideal” e que sua decisão foi baseada em um “respeito mútuo” com a Câmara de Comércio Brasil-EUA.

O Marriott Marquis, em Nova York, vai sediar o jantar de gala, segundo a CNBC. O hotel não retornou um pedido de comentário.

O jantar de gala 'Personalidade do Ano' da organização é realizado anualmente desde 1970, segundo o site da Câmara de Comércio Brasil-EUA. Homenageados no passado incluem os ex-presidentes Fernando Henrique Cardoso e Bill Clinton.

Bolsonaro foi escolhido para 2019 como “um reconhecimento de sua firme intenção de promover laços comerciais e diplomáticos mais estreitos entre o Brasil e os Estados Unidos”, segundo comunicado do site da Câmara de Comércio Brasil-EUA. A organização não retornou um pedido de entrevista.

Invista melhor o seu dinheiro. Abra uma conta gratuita na XP. 

 

Contato