Em negocios / grandes-empresas

Elon Musk não consegue mais desviar dos problemas de caixa da Tesla

Depois de afirmar que a Tesla fecharia seu capital, Musk admite que pode precisar de mais dinheiro de Wall Street

Elon Musk
(Reprodução)

(Bloomberg) -- Elon Musk disse que não ia mais pedir dinheiro de Wall Street.

Apesar do que os analistas da Tesla disseram, Musk insistiu no último ano que a produção do Model 3 estava finalmente no caminho certo, que o fluxo de caixa positivo estava a apenas um quarto de distância e que os inimigos pagariam caro por sugerir que ele enfrentava dificuldades para pagar suas contas.

Até postou um tuíte que ficou famoso por anunciar que a Tesla fecharia o capital.

Então, o que Musk disse aos investidores na semana passada, depois que a Tesla divulgou mais um trimestre de lucros decepcionantes? Sua fabricante de carros elétricos com problemas de caixa talvez precise pedir mais dinheiro a Wall Street.

É uma reviravolta impressionante para o presidente da Tesla, que nunca foi de ceder à pressão de seus críticos.

Musk destacou que o capital extra faz sentido à luz de seu novo plano ambicioso para desenvolver uma frota de robôs-táxis autônomos (para não mencionar empreitadas nos segmentos de seguro, fabricantes de chips e até mesmo sopradores de folhas “sensíveis”).

Mas, de certa forma, é uma admissão tácita de que, apesar de toda a conversa e confiança que Musk exalava sobre o futuro da Tesla, o executivo ainda não descobriu como obter lucro com a produção em massa de seus carros.

"Musk e Tesla se olharam no espelho e perceberam que precisavam mudar um pouco a sintonia sobre o aumento de capital, porque a matemática não mente", diz Dan Ives, analista da Wedbush Securities. “Com base na trajetória de lucratividade e no que vimos no primeiro trimestre, as dificuldades são evidentes. ”

Para Ives e muitos outros analistas, a questão mais pertinente agora não é se a Tesla vai novamente buscar recursos nos mercados. É sobre quem estará disposto a fornecer o dinheiro - e o preço disso.

Em resposta a uma pergunta sobre a necessidade de garantir mais recursos, Musk reconheceu na semana passada que “existe mérito na ideia de levantar capital neste momento”. Isso depois de a Tesla divulgar queda recorde das encomendas que, combinadas com o maior pagamento de dívida da empresa, esgotou sua reserva de caixa para o menor nível em três anos: US$ 2,2 bilhões.

Um porta-voz da Tesla não quis comentar e solicitou que a Bloomberg News consultasse a carta sobre os resultados do primeiro trimestre aos acionistas. Nela, a Tesla disse que o fluxo de caixa operacional excluindo despesas de capital "deve ser positivo em todos os trimestres, incluindo o segundo trimestre".

No passado, os investidores de títulos e ações também ficavam animados com tudo o que a Tesla vendia - apesar da trajetória decepcionante de lucros. Nos 16 anos de história da empresa, a Tesla só obteve lucro em quatro trimestres, com base no resultado líquido ajustado.

É improvável que o entusiasmo se repita agora.

Com a dívida não garantida da Tesla a 85 centavos de dólar e rendendo pouco mais de 8%, captar recursos no mercado de bônus seria muito oneroso, diz Joel Levington, analista da Bloomberg Intelligence. No primeiro trimestre, a empresa divulgou fluxo de caixa livre negativo de US$ 920 milhões.

--Com a colaboração de Dana Hull e Craig Trudell.

 

Contato