Em negocios / grandes-empresas

Itaú e Rede anunciam novos cortes para clientes em mais um golpe no setor

Nova ofensiva foi anunciada às vésperas do início da política de taxa zero de antecipação  

Rede
(Divulgação)

SÃO PAULO – A Rede, credenciadora de cartões do banco Itaú, anunciou uma nova rodada de cortes nas taxas em meio à guerra das maquininhas. O MDR, taxa cobrada por cada transação nas maquininhas, passou a 1,99% no débito e 3,49% no crédito à vista, conforme o site da empresa.

As novas taxas valem para clientes com faturamento de até R$ 10 mil por mês, ou seja, principalmente microempreendedores individuais (expertise da PagSeguro e da Stone). Os demais clientes negociarão as taxas individualmente.

Comparativamente, a Cielo cobra 1,99% no débito no primeiro ano, depois, sobe a taxa para 2,39%. No crédito sem parcelamento, a taxa da maior brasileira do setor é de 4,99%. A média do mercado é entre 2,70% para o débito e 4,20% no crédito à vista.

A nova taxa foi anunciada na quarta-feira (1), um dia antes de passar a valer a política de taxa zero para a antecipação de recebíveis entre clientes Rede com domicílio bancário no Itaú com faturamento de atá R$ 30 milhões anuais.

Para analistas da XP Investimentos, a queda no MDR é “outro golpe no setor de adquirência como um todo, já que os lucros vem encolhendo com os players sendo cada vez mais agressivos”. Vale lembrar que a própria Rede anunciou no meio do mês a taxa zero de antecipação de recebíveis para clientes Itaú, desencadeando uma série de cortes em taxas e preços por parte da concorrência.

“Esperamos que movimentos como esses continuem acontecendo, já que os incumbentes (Cielo, Rede) devem se aproveitar de sua escala e acesso ao capital para proteger sua liderança”, dizem os analistas.

A Cielo (CIEL3) abriu em queda de 1,04% na B3, ante queda de 0,83% do Ibovespa. As ações da PagSeguro, negociadas em Nova York, caíam 0,35% no premarket nesta quinta-feira. A Stone, também negociada nos EUA, sofria mais, despencando 6,22%. 

Itaú também derruba preços 

Paralelamente, o Itaú divulgou que correntistas do banco clientes Rede terão isenção de tarifa para uma transferência (TED) por dia para a mesma titularidade além de 4 saques gratuitos por mês.

Marcos Magalhães, presidente da Rede, argumentou que essa gratuidade derruba o argumento de que a antecipação com taxa zero corresponderia a uma venda cruzada, “afinal, o correntista pode tirar dinheiro da conta à vontade”.

Para Microempreendedores Individuais (MEIs) com maquininhas da Rede, o Itaú reduziu o preço do pacote Conta Certa, que passará de R$ 81 para R$ 25. A concorrente Stone, comparativamente, cobra R$ 30 por contas sem direito a saque.

Por último, o aluguel da maquininha passa de R$ 100 para R$ 69. Para lojistas com faturamento anual acima de R$ 60 mil que optem pelo parcelado sem juros, o aluguel será isento, sendo cliente ou não do Itaú.

Segundo os cálculos da empresa, a economia dos clientes que fizerem uso de todo esse pacote de benefícios será de R$ 260 ao ano para quem fatura até R$ 12 mil anuais até R$ 200,27 mil ao ano para quem fatura R$ 30 milhões.

Invista melhor o seu dinheiro. Abra uma conta gratuita na XP. 

 

Contato