Em negocios / grandes-empresas

Procon pede à Polícia investigação criminal contra Empiricus após Bettina

Empresa teria cometido infração penal com propaganda "enganosa" e "abusiva"  

Bettina
(Reprodução/Empiricus)

SÃO PAULO – O Procon-SP abriu nesta segunda-feira uma representação criminal contra a Empiricus por conta da publicidade protagonizada pela funcionária da empresa Bettina Rudolph.

De acordo com o documento enviado à polícia, a propaganda é “enganosa” e “abusiva”, ferindo o Código de Defesa do Consumidor. A Fundação solicita que seja instaurado um inquérito policial “para apuração de fatos potencialmente lesivos caracterizadores de infração penal no âmbito de competência deste prestigioso”.

A publicidade em questão viralizou nas redes sociais nas últimas semanas. Trata-se de um vídeo em que Bettina afirma que, a partir de um investimento de R$ 1.520, chegou a R$ 1 milhão em três anos.

“Tal publicidade revela-se perigosa para o consumidor por dois motivos básicos”, diz o Procon na representação. “(a) ela é enganosa, na medida em que se apresenta como um depoimento espontâneo e omite informações necessárias para que o consumidor do produto tenha conhecimento de sua autenticidade; (b) ao induzir o consumidor a pensar que pode multiplicar 1.500 reais em três anos, atua de forma subliminar na sua capacidade cognitiva, caracterizando-se como publicidade abusiva”, explica a carta.

O Procon solicitou na semana passada que a empresa esclarecesse alguns aspectos do vídeo, incluindo uma comprovação da veracidade dos fatos divulgados. Em resposta, a empresa “esclareceu tratar-se de uma ação de marketing, bem como ela mesma foi responsável pela contratação e divulgação. Admitiu, portanto, tratar-se de publicidade”, diz o Procon.

A fundação de defesa do consumidor disse ainda que a Empiricus não apresentou “dados fáticos, técnicos e científicos que dão base à publicidade”, alegando “não ser possível comprovar a autenticidade da informação tendo em vista o direito à intimidade da apresentadora”.

O Procon nota, ainda, que Bettina admitiu em mais de uma ocasião ter aportado valores significativos após seu investimento inicial, incluindo R$ 35.000 que ganhou do pai. “Como se nota, embora a publicidade sugira que Bettina ganhou todo seu dinheiro aplicando em ações, isso não corresponde à verdade e o consumidor não consegue perceber isso no vídeo publicitário”, diz a representação.

Atualização

Contatada, a Empiricus enviou ao InfoMoney o seguinte posicionamento: 

"Todo as peças da Empiricus buscam criar interesse no público em conhecer melhor o mercado de ações, fundos e títulos financeiros, de modo a aplicar melhor o seu dinheiro.

No caso da peça em questão, a Empiricus já esclareceu o seu conteúdo em vários dos seus canais de comunicação. O material tinha caráter de teaser para um curso gratuito de educação financeira, feito por uma diligente equipe de 32 especialistas.

A comunicação da empresa replica o modelo amplamente disseminado de publicidade de empresas de publicações financeiras dos Estados Unidos. Naquele país, o acesso a produtos financeiros é amplamente desbancarizado e diversas empresas de conteúdo, semelhantes à Empiricus, desempenham um importante papel de educação financeira.”

 

Contato