Em negocios / grandes-empresas

Tesla é "Titanic": jamais terá outro trimestre lucrativo e vai afundar, diz gestor

Whitney Tilson, ex-gestor de um fundo de hedge de US$ 50 milhões chamado Kase Capital, tem opiniões fortes sobre a empresa de Elon Musk

Tesla
(Shutterstock)

SÃO PAULO - Whitney Tilson, ex-gestor de um fundo de hedge de US$ 50 milhões chamado Kase Capital, afirmou que a Tesla não terá outro trimestre lucrativo nunca mais.

"A Tesla está enfrentando uma onda de novos competidores e eu questiono se ela pode ganhar dinheiro com os novos preço mais baixos anunciados recentemente, então eu acho que a empresa jamais divulgará outro trimestre lucrativo", disse o executivo, segundo informações do Business Insider. 

Ele acrescentou que a fabricante de carros elétricos o lembra da cena do filme "Titanic", em que "o engenheiro mostra ao capitão por que 'é certeza' que o navio vai afundar, mas a banda calmamente continua tocando ao fundo".

O fundo que Tilson geria foi fechado em setembro de 2017 depois de um período de desempenho ruim.

Seus comentários vêm poucos dias depois que ele afirmou que as ações da Tesla cairiam para menos que US$ 100 ainda neste ano. Nesta segunda, os papéis são negociados a US$ 285,55. 

Juntamente com o lançamento de uma versão de US$ 35.000 do Model 3, no último dia 28, o CEO Elon Musk alertou que a Tesla pode não ser rentável no primeiro trimestre de 2019. O dia seguinte, para o gestor, é o início da derrocada dos papeis.

"Hoje estou fazendo uma das minhas raras recomendações: vamos olhar para a aquela sexta-feira (1) como o início do fim das ações da Tesla", disse em uma newsletter divulgada ao público. 

Musk está bem mais otimista. No início de fevereiro, após a Tesla anunciar que terminou 2018 com os primeiros trimestres consecutivos de lucratividade da empresa, ele disse que a empresa esperava ser lucrativa em "todos os trimestres".

A empresa de Musk também anunciou que vai fechar as lojas físicas e vender carros apenas online. "Mudar nossas vendas para um canal online, nos permitirá reduzir os preços de veículos em cerca de 6% em média. Assim, poderemos alcançar o preço de US$ 35 mil antes do esperado", disse a empresa.  

A reação de Wall Street tem sido mista, com a maioria dos analistas se mantendo firme em suas chamadas anteriores à espera dessas novidades anunciadas por Musk. 

"Em nossa opinião, este anúncio é um divisor de águas potencial para Musk e Tesla, já que um veículo de US$ 35 mil com margens lucrativas é uma peça fundamental para uma melhora do desempenho da marca", disse o analista Dan Ives, da consultoria Wedbush.

Adam Jonas, do Morgan Stanley, foi menos otimista. "Enquanto isso pode estabilizar o bolso nas vendas do primeiro trimestre, estamos preocupados de que seja um sinal de uma marca esteja perdendo seu nicho de 'exclusividade'", afirmou o analista. 

Nesta segunda-feira (11), os papéis da empresa estão subindo 0,83%. No acumulado do ano, caem 13,97%.

Invista seu dinheiro melhor. Abra uma conta na XP - é de graça. 

 

 

Contato