Em negocios / grandes-empresas

No Super Bowl, propagandas podem custar R$ 640 mil por segundo

A rede de televisão CBS está cobrando o recorde de US$ 5,25 milhões por apenas 30 segundos de propaganda durante o jogo entre Rams e Patriots   

Tom Brady, Patriots, Super Bowl
(Shutterstock)

SÃO PAULO - Neste domingo (3) acontece o Super Bowl LIII: a grande final da NFL (National Football League), a Liga de Futebol Americano. Como sempre, grandes marcas como a Budweiser e Pepsi gastarão milhões de dólares de seus orçamentos de publicidade durante um dos eventos esportivos mais assistidos do mundo.  

A rede de televisão CBS (emissora oficial do jogo) está cobrando o recorde de US$ 5,25 milhões por apenas 30 segundos de propaganda durante o jogo entre as franquias Los Angeles Rams e o New England Patriots, segundo o CNBC. Isso é aproximadamente US$ 175 mil por segundo, cerca de R$ 640 mil.

O valor é ligeiramente superior ao do ano passado, quando custou US$ 5,2 milhões, e US$ 1 milhão a mais do que o preço em 2014. Em pouco mais de uma década, o preço médio do anúncio durante o Super Bowl quase dobrou, já que o anúncio de 30 segundos custou US$ 2,69 milhões em 2008, segundo a Nielsen Media Research.

O preço da transação específica de cada anunciante com a CBS pode variar dependendo de quando o anúncio realmente é veiculado (propagandas veiculadas no início do jogo  podem valer mais), a duração e o número de anúncios comprados.

No primeiro Super Bowl, em 1967, os anúncios custaram entre US$ 37.500 e US$ 42.500, com base nos números da Nielsen. Só em 1995 os valores chegaram ao milhão: na época, o espaço para 30 segundos de anúncio foi vendido por US$ 1,15 milhão (acima dos US$ 900 mil do ano anterior).

De acordo com a consultoria Ad Age, o maior aumento nos últimos anos veio em 2000, quando o custo subiu 31%, graças aos grandes gastos de startups no negócio. 

Invista seu dinheiro para assistir o próximo Super Bowl. Abra uma conta na XP - é de graça. 

Espera-se que mais de 100 milhões de pessoas só nos EUA vejam o Super Bowl de 2019, embora a audiência de TV da NFL tenha sofrido um declínio nas últimas temporadas. As visualizações do grande jogo do ano passado caíram 7%, para 103 milhões de espectadores.

É muito dinheiro?

É claro que pagar mais de US$ 5 milhões por um anúncio do Super Bowl é muito. Mas as empresas anunciantes realmente acreditam que o investimento compensa.

Além de investir nas propagandas durante o jogo da final, as empresas apostam também na publicidade em comunicados com informações sobre o Super Bowl que são veiculados antes ou depois da partida - na tentativa de esticar a visualização de seus produtos.

As empresas acreditam que os espectadores vão assistir à pré-visualização de seus anúncios do Super Bowl no YouTube e assisti-los novamente após o jogo, quando os sites classificarem os melhores anúncios do Super Bowl, por exemplo. Um comercial de um minuto da Budweiser do Super Bowl 2019 já está disponível para assistir no YouTube desde a semana passada e tem mais de 13 milhões de visualizações.

A Anheuser-Busch, patrocinadora oficial da cerveja na NFL e presença regular nos anúncios do Super Bowl a cada ano, está comprando mais tempo de publicidade durante o jogo. Esse ano bateu o recorde de seis minutos e meio, uma compra que pode custar cerca de US$ 34 milhões.

 

Contato