Em negocios / grandes-empresas

Tentativa de fusão entre Carrefour e Casino envolve Abilio Diniz

Segundo o site da Época, o Carrefour propôs que Abilio reassuma o controle do Pão de Açúcar, que é comandado pelo Casino. O pagamento seria feito em ações do Carrefour e R$ 2 bilhões em dinheiro

Abilio Diniz - BR Foods
(Nacho Doce/Reuters)

SÃO PAULO - A tentativa de fusão entre as redes de varejo Carrefour e Casino ganhou um novo capítulo. Segundo informou o site da Época, o Carrefour propôs que o empresário Abilio Diniz reassuma o controle do grupo Pão de Açúcar, que é comandado pelo Casino.

O pagamento seria feito com as ações do Carrefour detidas por Abilio. InfoMoney apurou que, além das ações, Abilio teria de desembolsar mais R$ 2 bilhões para ter o controle. 

A proposta, de acordo com o site da Época, tem o objetivo de tentar resolver um dos principais obstáculos ao negócio: a concentração que a empresa formada pela união entre Carrefour e Casino teria no Brasil, o que poderia fazer com que o Cade (Conselho Administrativo de Defesa Econômica) barrasse o negócio.

Em fato relevante divulgado hoje, o Grupo Pão de Açúcar afirma que “não tem conhecimento de qualquer conversa referente à venda de seu controle e não foi informada de qualquer intenção de seus acionistas controladores sobre tal venda”.

O InfoMoney entrou em contato com o Grupo Carrefour Brasil, que nega as informações. O Casino não comentou.

Abilio é hoje conselheiro do Carrefour e um dos maiores acionistas da empresa. O Pão de Açúcar foi fundado por seu pai em 1948.  

Histórico

Uma possível fusão entre os grupos é assunto há algum tempo. Em 2011, a proposta foi feita pelo próprio Abilio Diniz, na época presidente do Grupo Pão de Açúcar e sócio do Casino. No entanto, a proposta foi negada e, ainda, resultou na saída de Diniz do comando do GPA.

Invista seu dinheiro para realizar seus maiores sonhos. Abra uma conta na XP - é de graça.

No ano passado, o assunto voltou à tona em setembro, quando o Casino anunciou que rejeitou uma nova tentativa de fusão feita pelo rival Carrefour - que, por sua vez, negou ter feito a proposta.

 

Contato