Em negocios / grandes-empresas

Netflix é processada em US$ 25 milhões por Black Mirror: Bandersnatch

O serviço de streaming está sendo acusado de plágio pela editora Chooseco, que publica livros interativos desde a década de 80 e já vendeu mais de 265 milhões de cópias

Black Mirror - Netflix
(Netflix / Divulgação)

SÃO PAULO - Definido por alguns críticos como o “futuro do cinema”, o primeiro filme interativo da Netflix, Black Mirror: Bandersnatch, gerou grande repercussão nas redes sociais devido aos diversos finais que a trama possibilita. No entanto, o lançamento fez com que o serviço de streaming fosse acusado de plágio pela editora Chooseco. Agora, a Netflix corre o risco de perder US$ 25 milhões.

O processo foi registrado na última sexta-feira (11), em tribunal de Vermont. A editora alega que a plataforma está usando, sem autorização, sua marca patenteada “Escolha a sua Própria Aventura”. A Chooseco começou a publicar livros interativos na década de 80 e já vendeu, desde então, mais de 265 milhões de cópias.

Em Black Mirror: Bandersnatch o público acompanha a vida de Stefan, um jovem programador que quer lançar um videogame a partir de um livro no estilo de “Escolha a sua Própria Aventura”.

Durante o desenrolar da história, Stefan tem de tomar decisões importantes sobre o que fazer, tais como “qual música ouvir?” e “matar ou não o pai?”. Quem escolhe é o espectador. Segundo os produtores, filme interativo tem cinco finais e mais de um trilhão de combinações possíveis.

A Netflix tentou a licença para produzir filmes e séries interativas baseadas nos livros da Chooseco em 2016, mas o pedido foi negado, segundo a revista americana Hollywood Reporter. Os direitos de produção pertencem hoje à 20th Century Fox.

A editora alega que a empresa está usando a frase “Escolha Sua Própria Aventura” para divulgar o a produção, e isso faria com que os espectadores relacionassem o filme com a marca. Além disso, o documento do processo afirma que essa associação teria prejudicado a reputação da Chooseco, uma vez que Bandersnatch é classificado por alguns como “sombrio” e “desconcertante”.

Alegando infração, diluição e concorrência desleal, a editora exige indenização de US$ 25 milhões ou uma porcentagem dos lucros do serviço de streaming com a produção, o que for maior.

No documento, a editora alega que “em ao menos uma ocasião antes do lançamento de 'Bandersnatch', a Chooseco enviou pedidos para que a Netflix desistisse de usar a marca 'Choose Your Own Adventure' para fazer marketing de um programa de televisão". Para eles, “a empresa usou intencionalmente a famosa frase da Chooseco para se beneficiar das associações positivas com – e para efeito de nostalgia – a marca por adultos que leram a série quando jovens.”

O InfoMoney entrou em contato com a Netflix no Brasil, mas eles não comentaram o caso até a publicação deste texto.

Quer investir seu dinheiro em 2019 e arrecadar muito mais ao longo do ano? Abra uma conta na XP!

 

Contato