Em negocios / grandes-empresas

Avianca pode perder aviões por não pagar empresa de leasing

Nesta segunda-feira (14) ocorrerá uma audiência do processo de recuperação judicial sobre o tema

Avianca
(Divulgação)

SÃO PAULO - A Avianca pode perder 10 aviões da sua frota para a empresa de leasing (de aluguel de aeronaves) Aircastle, segundo informações do jornal O Estado de S. Paulo. Nesta segunda-feira (14) ocorrerá uma audiência do processo de recuperação judicial sobre o tema.

Os 10 aviões, todos Airbus A320, representam uma parcela considerável da frota atual da empresa que é composta por 53 aeronaves. Milhares de passageiros podem ser afetados com cancelamentos de voos. 

O InfoMoney entrou em contato com a Avianca, que reforçou que segue operando normalmente. "Os clientes continuam realizando suas reservas e voando com a companhia. De 1º de dezembro até o último dia 7, por exemplo, foram transportados mais de 1 milhão de passageiros em 9.000 voos. A empresa reitera que permanece totalmente focada na continuidade de suas operações", diz a nota.    

Além disso, a quarta companhia aérea do país pode perder ainda mais aviões. Segundo o jornal, a GE Capital e um outra subsidiária estão buscando retomar mais 12 Airbus A320, conforme disse James Luton, porta-voz da GE.

Contexto

A Avianca fez um pedido de recuperação judicial em 11 de dezembro do ano passado, com dívidas estimadas em R$ 100 milhões.

Essas dívidas têm relação com um movimento na contramão da concorrência. Nos últimos anos, Gol, Latam e Azul fizeram um replanejamento de suas respectivas malhas aéreas, o que resultou em uma diminuição da frota. A Avianca, por outro lado, focou em uma grande expansão.

Mas após esse crescimento rápido, a companhia aérea enfrenta dificuldade para pagar fornecedores e cumprir obrigações com concessionárias de aeroportos. Como consequência corre o risco de ter que devolver aviões.

No mês passado, a Avianca afirmou que poderia perder 14 aviões, mas garantiu que os voos dos passageiros não seriam afetados.

O problema é que o pedido de recuperação judicial protege os credores, mas não cobre arrendamentos (aluguel de aeronaves). 

Segundo o jornal, uma fonte familiarizada com o assunto, que não quis se identificar, afirmou que desde que a recuperação judicial começou a companhia aérea não fez proposta para a Aircastle na tentativa de manter os aviões - a dívida com a empresa de leasing chega a US$ 30 milhões. 

É sempre tempo de viajar. Invista seu dinheiro e realize seus sonhos - abra uma conta na XP (é de graça). 

 

Contato