Em negocios / grandes-empresas

Caixa tem IPOs como prioridade na gestão de novo presidente

Segundo Pedro Guimarães, o banco pode vender as empresas de seguros, cartões, gestão de recursos e Loterias

agência da Caixa
(Tânia Rêgo/ABr)

SÃO PAULO – Privatização de subsidiárias por meio de aberturas de capital na bolsa será uma das prioridades da gestão de Pedro Guimarães como presidente da Caixa Econômica Federal.

O executivo, que assume oficialmente nesta segunda-feira (7), disse ao Valor que isso permitirá que o banco quite as dívidas com o Tesouro Nacional (R$ 40 bilhões) em 4 anos sem consumir o lucro.

O plano de Guimarães é realizar os IPOs, com venda de participação minoritária, de quatro subsidiárias. Ainda em 2019, devem estrear na bolsa a Caixa Seguridade e a Cartões Caixa. Posteriormente, estuda-se o mesmo movimento para a gestora de recursos e a empresa de Loterias.

A ideia de privatizar subsidiárias não é nova. Em 2015, a Caixa Seguridade chegou a solicitar à CVM (Comissão de Valores Mobiliários) o registro da oferta inicial de ações. Mas, na época, a renovação do contrato com a francesa CNP Assurances – que manteve exclusividade de distribuição com a seguradora  –  decepcionou investidores brasileiros interessados na quebra desse acordo e derreteu o potencial da oferta de R$ 10 bilhões para R$ 3 bilhões.

Mas a paisagem agora é outra. Em agosto de 2018, a empresas criaram novo acordo, segundo o qual a francesa abre mão da exclusividade nos ramos de seguro habitacional, auto, riscos patrimoniais e consórcios. Outros termos estão sob avaliação do novo presidente.

Invista melhor seu dinheiro. Abra uma conta gratuita na XP. 

 

Contato