Em negocios / grandes-empresas

Mercadorias da Nike esgotam após propaganda com Colin Kaepernick

A maior fabricante de roupas esportivas do mundo vendeu muito mais itens entre os dias 3 e 13 de setembro do que no período de 10 dias antes do lançamento do anúncio

Campanha da Nike com Kaepernick
(Reprodução)

SÃO PAULO - As vendas de mercadorias da Nike cresceram 61% desde o lançamento da campanha publicitária com o ex-jogador da NFL, Colin Kaepernick, no início do mês. Os dados foram divulgados pela Thomson Reuters Proprietary Research, que analisou as vendas online da empresa, e publicados no New York Post.

Kaepernick chamou a atenção de toda nação americana ao se ajoelhar durante o Hino Nacional dos Estados Unidos. No dia 3 de setembro (nos EUA, dia do trabalhador), ele twittou o anúncio publicitário, o que imediatamente provocou um movimento de boicote aos produtos da marca. O presidente Donald Trump também twittou, sem fornecer evidências, que "a Nike está sendo absolutamente morta com raiva e boicotes.”

Mas uma pesquisa feita pela empresa de meios de comunicação e informação Thomson Reuters, em colaboração com a StyleSage, mostra o oposto. A maior fabricante de roupas esportivas do mundo vendeu muito mais itens entre os dias 3 e 13 de setembro do que no período de 10 dias antes do lançamento do anúncio.

“Essas fortes estatísticas reforçam que a Nike está firme - e não apenas em um contexto social”, disse Jharonne Martis, diretor de pesquisa de consumo da Thomson Reuters.

As ações da Nike se recuperaram de uma queda inicial, quando as primeiras versões do anúncio foram lançadas, e atingiram recorde em um pouco mais de uma semana depois. Elas subiram quase 7%, superando o ganho de 1,9% da Média Industrial Dow Jones no mesmo período. Quer investir seu dinheiro para comprar produtos da Nike? Abra uma conta na XP.

A resposta nas redes sociais sobre o anúncio da Nike, que havia sido negativa logo após o lançamento, também se tornou positiva no início desta semana, de acordo com o Monitor de Midia Social Eikon da Thomson Reuters.

“A nova campanha publicitária da Nike, ‘Just Do It’ com Colin Kaepernick, foi um golpe de gênio… Esse movimento premeditado foi um sinal sutil, mas significativo, da força e confiança da Nike em sua posição no mercado", escreveu Camilo Lyon, analista do Banco Canaccord Genuity.

 

Contato