Em negocios / grandes-empresas

Ford considera vender operações na América do Sul, diz Bloomberg

Empresa perdeu US$ 4,2 bilhões no mercado local desde 2012

Ford
(Shutterstock)

SÃO PAULO - A Ford Motor está considerando vender suas operações na América do Sul para rivais, de acordo com fontes da Bloomberg. A empresa já teria contatado a Fiat Chrysler e a Volkswagen a respeito do negócio, além de outros competidores, em busca de interessados. 

Desde 2012, a montadora não apresenta lucro antes de impostos na região. A perda no mercado local foi de US$ 4,2 bilhões no período. No ano passado, somou US$ 5,8 bilhões em vendas. 

Na semana passada, no anúncio do balanço da empresa, a região foi um dos assuntos detalhados. Bob Shanks, diretor financeiro da montadora, disse que o negócio na região "não possui uma forte posição competitiva" e que a empresa "não conseguiu um retorno apropriado sobre o investimento no mais recente ciclo econômico, que vem de 2004 ao presente". Na ocasião, ele falou em "redesenho significativo do modelo de negócio [local] focado em onde jogar e como vencer". 

A venda não é a única alternativa cogitada pelo CEO da Ford, Jim Hackett, de acordo com as fontes do site. Colocar as operações à venda seria uma solução coincidente com uma restruturação anunciada pela companhia para os próximos 5 anos, com custo de US$ 11 bilhões. Isto porque a Ford vem investindo pesado em carros elétricos e autônomos - e não teria mais capacidade para manter as fábricas na América do Sul sem esperar retornos positivos. 

Ao mesmo tempo, analistas consultados pelo site vêem dificuldade na operação de venda. Com câmbio instável e risco político, o mercado sul-americano parece uma opção pouco atraente no momento. Por isto, já se fala na possibilidade de reformulação do negócio ou apenas uma saída definitiva da região. 

Só no Brasil, a Ford tem 4 fábricas: Camaçari, São Bernardo do Campo, Tatuí e Taubaté. A primeira e maior delas fabrica 912 veículos por dia, ou um a cada 80 segundos. Na região como um todo há 13,6 mil funcionários em 8 fábricas.

Em nota enviada ao InfoMoney, a empresa negou a informação da Bloomberg: "a referida matéria é incorreta. A Ford não está considerando uma saída da América do Sul. Conforme já dito pela Companhia, os resultados financeiros na América do Sul estão abaixo do desempenho esperado e um redesenho de nosso modelo de negócios é necessário para determinar onde devemos participar e como podemos vencer neste mercado", diz o texto.

Quer investir melhor o seu dinheiro? Abra uma conta na XP.

 

Contato