Em negocios / grandes-empresas

Maquininhas de pagamento declaram guerra de preços e Santander entra na briga

PagSeguro baixou o preço da Moderninha após lançamento do Itaú e rebranding da Vermelhinha

PagSeguro
(Divulgação)

SÃO PAULO – O banco Santander (SANB11) jogou luz, na última quarta-feira, (25) à sua estratégia para participar da “guerra das maquininhas” travada há meses entre players como Itaú (ITUB4), PagSeguro e Cielo (CIEL3). A estratégia passa pelo lançamento da SuperGet, substituta da “vermelhinha” e fruto da aquisição recente da GetNet.

O lançamento da SuperGet oferece ao Santander o potencial competitivo de que precisava no mercado dos pequenos empreendedores e MEIs: os preços são mais baixos que a versão anterior do seu terminal de pagamento para este mercado, e as condições de contratação, mais simples. Ainda assim, está difícil garantir um espaço competitivo em meio à batalha travada pelos players mais tradicionais.  

Em primeiro lugar, os preços de compra das maquininhas estão cada vez mais baixos. Nesta segunda-feira (30), a PagSeguro, maior empresa deste mercado, decidiu baixar o preço da Moderninha de 12 x R$ 28,92 para 12x R$ 19,90 em uma promoção anunciada nas redes sociais. Com isso, seu valor fica exatamente igual ao da SuperGet (R$238,80).

O Itaú, por sua vez, lançou recentemente a POP Credicard, cujo intuito é competir no mesmo mercado. O preço da POP é de 12 x R$ 29,90, mas seu diferencial competitivo é outro: as taxas transacionais de 1,99% sobre o valor de cada venda no débito e 3,98% para o crédito à vista. No lançamento do Santander, os valores ficam em 2,29% e 4,89%, respectivamente.

Considerando o público-alvo (pequenas empresas e microempreendedores), o desafio de comunicação também é grande. Ainda em fase inicial, a POP sai como concorrente direta da PagSeguro em marketing, trazendo Ivete Sangalo como garota propaganda. Tanto Minizinha quanto Moderninha ganharam astros da cultura pop para sua divulgação, entre eles, Michel Teló, Fábio Porchat e Wesley Safadão. 

Leia também: Itaú e PagSeguro criam ringue de pesos-pesados na guerra das maquininhas

O mercado agora espera para ver os resultados preliminares da batalha. Enquanto Santander e Itaú não têm números a demonstrar ainda dentro de seus novos terminais de pagamento, a Cielo marcou sua apresentação de resultados trimestrais para esta segunda-feira (30). Um dia depois, na manhã da terça-feira (antes da abertura do mercado), a PagSeguro lançará resultados preliminares - o relatório completo chega um mês depois, no dia 30 de agosto. Isso significa que o mercado irá “digerir” ambos os resultados concomitantemente no pregão da terça-feira (31).

Com ações listadas na bolsa norte-americana, a PagSeguro pode ter tomado a decisão de divulgar números junto com a Cielo por duas razões distintas, de acordo com analistas do Morgan Stanley. Por um lado, podem estar querendo comprovar a estabilidade do negócio e que a “guerra das maquininhas” não impactou em seus resultados. Outra leitura é que a companhia buscou mostrar que os resultados foram fracos para que as ações sejam atingidas apenas uma vez (e não duas em dois meses, após Cielo e resultados consolidados).

A ação da Cielo subia 0,31% nesta tarde antes da divulgação. No ano, o papel acumula queda de 30,09%.

Quer investir melhor o seu dinheiro? Abra uma conta na XP.

 

Contato