Em negocios / grandes-empresas

Casal ganhou US$ 1,2 milhão enganando a Amazon

Um juiz norte-americano condenou um casal de Muncie, no estado de Indiana, a quase seis anos de prisão nesta segunda-feira (4) 

Amazon
(Shutterstock)

SÃO PAULO - Um juiz norte-americano condenou um casal da cidade de Muncie, no estado de Indiana, a quase seis anos de prisão na segunda-feira (4) por roubar US$ 1,2 milhão em eletrônicos da Amazon. É o fim de um golpe que Erin e Leah Jeanette Finan, ambos de 38 anos, faziam durante anos. "O esquema da Amazon era o 'trabalho deles'", disse o governo federal dos EUA sobre o casal em seu comunicado à imprensa. 

Entre 2014 e 2016, eles criaram centenas de identidades online falsas e contas da Amazon. Eles as usaram para encomendar mais de 2.700 produtos eletrônicos - como câmeras GoPro, Xbox, Macbooks da Apple, tablets da Microsoft, entre outras coisas. Depois de comprar os produtos, eles afirmavam à empresa que os mesmos haviam chegado danificados ou que não funcionavam - e pediam uma reposição.

A Amazon tem uma política de atendimento que permite que o cliente receba um novo produto, caso o que ele pediu venha com algum defeito. Mas as regras desse programa permitem que o consumidor receba o item substituto antes de devolver o produto defeituoso. E era disso que eles se aproveitavam. 

Na prática, a dupla comprava um item e pedia à Amazon para enviar uma segunda peça dele, sem devolver a primeira. Depois que a Amazon enviava, ele vendiam a mercadoria roubada para Danijel Glumac, de 29 anos. Ele revendia os itens para uma entidade em Nova York que os comercializava. 

Em alguns casos, eles até solicitavam vários produtos de reposição por pedido. Por exemplo, receberam dois relógios Samsung de reposição, alegando que tanto o primeiro entregue como o substituto estavam com defeito. Ou seja, o casal vendeu três relógios por US$ 180 cada para Glumac, mas pagaram apenas por um dos itens.

A varejista alega que fica atenta às contas dos clientes para rastrear possíveis fraudes. Mas o governo americano disse que o casal conseguiu receber vários produtos substitutos com essa política, usando sua longa lista de identidades falsas para simplesmente abandonar cada conta antes que a fraude fosse descoberta.

Em dois anos o valor total arrecado pela fraude chegou a US$ 1,2 milhão, cerca de R$ 4.560.000. O casal ficou com cerca de US$ 750 mil, R$ 2.850.000 do esquema nesse período, segundo o governo americano. Glumac, por sua vez, lucrou perto de US$ 500.000, cerca de R$ 1.900.000. 

Em nota a Amazon afirma que "monitora de perto as contas dos clientes e os possíveis pedidos derivados de atividades fraudulentas". 

O golpe do casal Finan foi descoberto em outubro de 2017, mas a condenação saiu somente na última semana. Cada um confessou ser culpado de fraude e lavagem de dinheiro e ficarão presos por 6 anos. Glumac se declarou culpado por lavagem de dinheiro e pegou 2 anos de prisão. Os três acusados foram obrigados a devolver os mais de US$ 1,2 milhão do esquema. 

Quer começar a investir? Abra uma conta na XP.

 

Contato