Em negocios / grandes-empresas

Facebook suspende mais de 200 aplicativos em investigação sobre uso indevido de dados

Em comunicado publicado nesta segunda-feira (14), o vice-presidente de produtos associados ao Facebook, Ime Archibong, revelou o número de aplicativos que tiveram acesso suspenso e afirmou que "a investigação continua"

Facebook
(Shutterstock)

SÃO PAULO – O Facebook suspendeu cerca de 200 aplicativos durante a primeira fase investigação dos aplicativos que tiveram acesso a um grande volume de dados dos usuários, anunciou a rede social. Posterior ao vazamento de dados de aplicativos maldosos para a empresa Cambridge Analytica, a investigação vai averiguar quais deles usaram as informações dos usuários de forma irregular.

Em comunicado publicado nesta segunda-feira (14), o vice-presidente de produtos associados ao Facebook, Ime Archibong, revelou o número de aplicativos que tiveram acesso suspenso e afirmou que “a investigação continua”: “Temos grandes equipes de especialistas internos e externos que trabalham duro para analisar esses aplicativos o mais rapidamente possível”.

Ele ainda diz que todos os aplicativos em que forem encontradas evidências de que houve uso indevido de dados serão banidos – e os usuários, notificados através deste site. Segundo o comunicado, o site dirá aos usuários se eles ou seus amigos instalaram um aplicativo que usou dados indevidamente antes de 2015.

O escândalo de vazamento de dados envolvendo o Facebook teve início em março, quando o The New York Times publicou sobre o uso “inapropriado” de dados dos usuários da rede social por parte da Cambridge Analytica, empresa ligada à campanha presidencial de Donald Trump. Em abril, o Facebook afirmou que 87 milhões de usuários foram afetados pelo vazamento.

Na época, a empresa teve que mudar sua política de privacidade e anunciar mudanças para conter o escândalo em que estava envolvida, como a possibilidade de usuários “julgarem” os conteúdos que são apropriados ou não para a rede social, o que, até então, cabia somente aos funcionários do Facebook.

 

Contato