Em negocios / grandes-empresas

Delete o Facebook: co-fundador do WhatsApp adere a movimento e pede para seguidores apagarem perfis

A origem do descontentamento dos usuários está no escândalo de vazamento de dados de mais de 50 milhões de perfis

Mark Zuckerberg 2 - Facebook
(Beck Diefenbach/Reuters)

SÃO PAULO - O co-fundador do WhatsApp, Brian Acton, aderiu ao movimento #deleteFacebook que está se espalhando pelo Twitter e estimula que os usuários apaguem seu perfil na rede social de Mark Zuckerberg. Vale lembrar que o WhatsApp foi comprado pelo Facebook em 2014 por US$ 16 bilhões, o que torna a participação de Acton na campanha mais emblemática. 

A origem do descontentamento dos usuários está no escândalo de vazamento de dados de mais de 50 milhões de perfis. No sábado (17), vieram à tona relatórios indicando que informações privadas da rede social foram usadas - sem o conhecimento dos usuários - pela Cambridge Analytica, empresa de dados ligada à campanha presidencial de Donald Trump, em 2016.

A informação sobre o vazamento de dados foi divulgada pelo The New York Times e pelo jornal britânico The Observer e confirmada pelo próprio Facebook, que suspendeu a conta da empresa de análise da rede social. Segundo o Facebook, a Cambridge Analytica violou normas da rede social ao arquivar dados de usuários por anos e ter mentido ao informar que os dados teriam sido destruídos.

Além do baque na imagem de uma das maiores empresas de tecnologia, as ações do Facebook despencam desde segunda-feira (19). Com a desvalorização acumulada em dois pregões no índice Nasdaq, bolsa tecnológica dos Estados Unidos, o Facebook perdeu cerca de US$ 60 bilhões em valor de mercado em apenas dois pregões.

O montante representa R$ 198 bilhões (na cotação de terça-feira), o equivalente a quase duas Vale, uma das maiores empresas com negociações na B3, que tem valor de mercado de R$ 220 bilhões no fim do último pregão.

Mark Zuckerberg, presidente-executivo do Facebook, foi convocado por parlamentares dos Estados Unidos e da Europa para explicar como a consultoria teve acesso aos dados dos usuários.

Faça seu dinheiro se multiplicar com investimentos! Clique aqui e abra uma conta na Rico 

 

Contato