EXPERIMENTE!

Clique e experimente a
versão rápida do

Em negocios / grandes-empresas

Ex-Google "demitido por ser conservador" explica por que está processando a empresa

Há um grupo de pessoas "racistas e misândricas" dentro do Google, diz David Gudeman

Google
(Shutterstock)

SÃO PAULO – David Gudeman, engenheiro demitido do Google após um memorando que violou o Código de Conduta da empresa, escreveu um texto onde explica seus motivos para processar uma das maiores companhias do mundo. Segundo ele, sua demissão foi resultado de preconceito contra sua postura conservadora.

Na publicação, ele diz que existe um grupo de pessoas “racistas e misândricas” que querem “usar o Google como um veículo de mudança social em vez de um veículo para entrega de serviço e produtos de excelência”. Misandria é o termo usado para atitudes de ódio contra o sexo masculino.

Embora ele afirme que esse grupo de pessoas é pequeno, também diz ter sofrido pouco apoio das “pessoas boas do Google” ao escrever o memorando que causou sua demissão. Nele, Gudeman dizia que mulheres possuem psicológico fraco e que as diferenças salariais por gênero no mercado de tecnologia existem, mas não são efeito de machismo.

Quanto ao processo em si, o engenheiro diz que o comportamento do grupo que o teria discriminado é ilegal e que outras pessoas no Vale do Silício “secretamente” agradecerão sua atitude. “Todos têm medo do grupo de ódio que domina as discussões no Google”, escreve.

Quer investir melhor o seu dinheiro? Abra uma conta na XP.

Contato