Em negocios / grandes-empresas

"Arma secreta" de crescimento exponencial da Amazon começa a estagnar

Interesse pela assinatura premium da plataforma teve crescimento zero  

Amazon
(Jonathan Weiss / Shutterstock.com)

SÃO PAULO – O Amazon Prime, serviço de assinatura no qual a Amazon tem apostado todas as suas fichas, pode ter chegado a um limite. De acordo com relatório do Morgan Stanley divulgado na semana passada, o número de pessoas interessadas em pagar US$ 99 ao ano pelo serviço teve crescimento zero no terceiro trimestre.

Em pesquisa, a instituição descobriu que 40% dos entrevistados possuem a assinatura – exatamente o mesmo número visto na edição anterior. É a primeira vez que esse serviço apresenta crescimento zero em duas pesquisas consecutivas.

São questionadas mil pessoas nessa base de pesquisa. No primeiro trimestre de 2016, 35% assinavam o serviço Amazon Prime, quase 10% a mais que o trimestre anterior – um crescimento realmente exponencial.

Não é de hoje que a Amazon aposta com força no Prime como sua maior arma de crescimento. Neste ano, a empresa começou a oferecer desconto de 27% no Prime para clientes que recebem assistência governamental. Quando anunciou a novidade, a empresa disse que esse foi apenas o primeiro passo para incluir cidadãos de baixa renda entre seus clientes fidelizados.

Segundo o UBS, a empresa tem usado de todos os artifícios possíveis para transformar clientes em fiéis compradores via Prime. Quase metade desses assinantes gastam US$ 800 ou mais na Amazon, e 74% deles compram ao menos duas vezes ao mês.

 

Contato