Em negocios / grandes-empresas

Corinthians, Grêmio, Palmeiras, Flamengo: Como foi a gestão financeira do seu time em 2017 e o que esperar para 2018

Superintendente de crédito do Itaú BBA participa do InfoMoney Entrevista nesta terça-feira

SÃO PAULO – Campeão brasileiro de 2017, o Corinthians teve uma campanha excelente durante todo o ano dentro de campo. O resultado é ainda mais impressionante quando se leva em conta a dificuldade enfrentada pelo clube para pagar a Arena: em 2016, o estádio drenou mais de R$ 50 milhões do caixa do clube, e a dívida total chegava a R$ 472 milhões no meio do ano.

No mesmo campeonato, o clube de maior destaque financeiro no Brasil, o Flamengo, ficou apenas em sexto lugar. Nesta quarta-feira, o clube descobre se leva para casa ao menos uma taça em 2017: a da Copa Sul-Americana, contra o Independiente, jogo que, sozinho, deve gerar R$ 7 milhões em renda para o clube e ajudá-lo a superar as expectativas de receita com bilheteria no ano.

Para quem olha de fora, 2017 parece ser uma comprovação de que, no futebol do Brasil, ter as finanças em dia não gera retorno em títulos. Essa conclusão parece opor o país ao cenário europeu, onde clubes como Manchester United, Barcelona, Real Madrid e Manchester City colecionam taças e investem euros praticamente nas mesmas proporções.

O InfoMoney entrevista recebe César Grafietti, superintendente do Itaú BBA e autor de diversos estudos sobre as finanças no futebol, para fazer um balanço deste ano e dividir suas expectativas para 2018. Confira no player abaixo:

 

Contato