Em negocios / grandes-empresas

SBT terá que veicular propaganda sobre reforma trabalhista ou será multado

Inquérito constatou que a empresa estava exibindo "chamadas publicitárias com informações duvidosas sobre o tema"

Chaves
(Facebook SBT)

 SÃO PAULO – O SBT assinou um termo de compromisso com o MPT-DF (Ministério Público do Trabalho no Distrito Federal) no qual se compromete a veicular mensagens educativas e reflexivas sobre a reforma trabalhista.  Em caso de descumprimento do termo, a empresa poderá pagar multa de R$ 10 mil por veiculação.

 O documento é resultado de um inquérito civil aberto pelo MPT que constatou que a empresa estava exibindo “chamadas publicitárias com informações duvidosas sobre o tema”. 

 Para a procuradora Renata Coelho, responsável pelo inquérito, “trata-se de propaganda possivelmente sem base fática ou documental, que não exprimiria opinião, mas sim afirmativa que sem a aprovação das reformas o país estará quebrado e o trabalhador ficaria sem salário”.

 As mensagens veiculadas diziam “você sabe que se não for feita a reforma trabalhista, você pode deixar de receber o seu salário?, “você sabe que o Brasil quebra, se não aprovar a nova lei da Previdência?”,  “você sabe que alguns estados brasileiros estão sem dinheiro para pagar as duas contas?”, “você quer que aconteça o mesmo com o Brasil?”.

 O representante do SBT, Silvimar Flávio Ramiro, afirmou que o “objetivo foi motivar a reflexão sobre o tema” e disse que as chamadas foram suspensas desde 12 de junho. “O SBT é empresa idônea, responsável e prima pelo cumprimento da legislação”, afirmou.

 A procuradora sugeriu que o SBT ceda espaço similar com ideias reflexivas sobre as reformas, sem qualquer caráter político, partidário ou mesmo ideológico.

Em resposta, o representante legal da emissora informou que desde sábado (1) já estão sendo veiculadas mensagens neste sentido, conforme recomendação do MPT.

 

Contato