Em negocios / grandes-empresas

CEO da United comenta sobre polêmica de passageiro arrastado em voo dois meses após ocorrido

Dois meses passado o ocorrido, o CEO da companhia, Oscar Munhoz, admitiu que se arrepende de não ter esperado um pouco mais para se pronunciar sobre o caso

Oscar Munhoz - United
(Divulgação/United)

SÃO PAULO – Em abril deste ano, a United Airlines passou por uma de suas maiores turbulências: após um vídeo de um passageiro sendo arrastado e agredido pela equipe da aérea viralizar na internet, a empresa perdeu milhões e viu diversos turistas organizarem movimentos de boicote contra ela.

Dois meses passado o ocorrido, o CEO da companhia, Oscar Munhoz, admitiu que se arrepende de não ter esperado um pouco mais para se pronunciar sobre o caso. De acordo com o Travel Weekly, Munhoz comentou, durante um painel no México, que “se tivesse esperado mais tempo, a primeira resposta me envolvendo teria sido diferente”.

Na época, logo depois de o vídeo ser compartilhado na internet, o CEO da aérea se pronunciou apoiando a atitude dos comissários de bordo. Depois da má repercussão, ele divulgou outra nota: “Este é um evento triste para todos nós da United. Eu peço desculpas por ter que reacomodar estes passageiros. Nossa equipe está se movimentando com senso de urgência para trabalhar com as autoridades e conduzir nossa visão detalhada do que ocorreu”.

O passageiro que foi arrastado no voo, o médico vietnamita David Dao, de acordo com seu advogado, perdeu dois dentes, teve o nariz quebrado e sofreu uma concussão. Desde então, a United vem implantando novas regras de conduta para os comissários, evitando que outros passageiros passem por situações semelhantes.

 

Contato