Em negocios / grandes-empresas

Uber demite mais de 20 funcionários após acusações de assédio, diz site

215 acusações de assédio compõem o novo escândalo que envolve a companhia  

Uber
(Divulgação )

SÃO PAULO – Após 215 reclamações de assédio sexual dentro da empresa, a Uber teria demitido mais de 20 dos seus 12.000 funcionários nesta terça-feira, de acordo com fontes anônimas da Bloomberg e do Business Insider.

Além das demissões, disseram as fontes, sete pessoas teriam recebido avisos por escrito a respeito de seu comportamento, enquanto outras 31 terão treinamentos especiais.

Segundo essas fontes, a área de Recursos Humanos da empresa teria recebido mais de 215 reclamações de comportamento inapropriado, de bullying a retaliação e assédio sexual. Uma empresa de advocacia está atrás de esclarecer os casos.

Em fevereiro, a ex-funcionária Susan Fowler escreveu em um blog que passou por experiências de assédio e de discriminação, relato que estimulou a empresa a abrir investigações internas.

Contatada, a assessoria de imprensa da Uber no Brasil ainda não comentou a questão.

 

Contato