Em negocios / grandes-empresas

Dono da marca Maria Filó afirma que só contratará gays porque não engravidam

Funcionária fez uma denúncia de assédio moral por discriminação e o caso foi divulgado no Facebook

Maria Filó
(Divulgação )

SÃO PAULO – A rede de moda feminina Maria Filó está em maus lençóis após uma funcionária grávida divulgar um comentário feito pelo dono da empresa, Alberto Osório.

Durante uma visita a uma das lojas da marca, no Rio de Janeiro, o executivo teria falado para a gestante, na frente de outras pessoas, que em breve demitiria as mulheres e as substituiria por gays, porque eles não engravidam.

A funcionária fez uma denúncia de assédio moral por discriminação e o caso foi divulgado no Facebook pelo seu marido.  Alguns internautas se revoltaram, acusando o Osório de machista e prometeram um boicote à marca.

Nas redes sociais, a marca afirmou que “na intenção de criar um clima descontraído e no tom brincalhão pelo qual é conhecido na empresa, nosso diretor Alberto Osório acabou fazendo um comentário que, fora do contexto, foi inadequado”.

A empresa afirma que objetivo não era ofender a funcionária. “Somos uma empresa feita para mulheres e por mulheres em sua grande maioria. Temos muito orgulho de apoiar nossas grávidas e participar do crescimento de uma série de famílias". 

Veja os posts: 
Funcionária_Maria Filó

Funcionária_Maria Filó 

 

Contato