Em negocios / grandes-empresas

Embalada pela Copa, "Marca Brasil" despontará em 2014

Assim como aconteceu em 1950, o País vai voltar a ser o centro das atenções culturais e comerciais

torcida do Brasil
(Jorge Silva/Reuters)

SÃO PAULO - A Copa de 2014 vai fazer o mundo se apaixonar por tudo o que é brasileiro. É o que prevê a empresa de pesquisa de mercado Mintel, que nomina as oportunidades para a “Marca Brasil” como uma das quatro tendências de consumo em 2014.

Segundo levantamento da empresa, assim como aconteceu em 1950, quando o Brasil sediou o evento, o País voltará a ser o centro das atenções culturais e comerciais. A expectativa é que a Copa seja uma verdadeira “vitrine” para produtos típicos brasileiros.

Empresas dos mais diferentes setores já estão atentas a essa tendência. No Reino Unido, por exemplo, lançamentos de produtos brasileiros incluem o pão de queijo, o refrigerante Guaraná, da Antártica, e a cerveja Brahma. Outro item bem explorado no exterior é a cachaça, com as marcas Velho Barreiro e Sagatiba se despontando nos bares britânicos.

No quesito restaurantes, cadeias como as churrascarias Rodízio Rico e Braza têm o potencial para atrair os 60% dos consumidores do Reino Unido que nunca estiveram, mas gostariam de visitar um restaurante sul-americano. Na moda, marcas como Havaianas já são bem conhecidos em outros países, especialmente porque 51% dos compradores de calçados concordam que vale a pena pagar mais por marcas conhecidas. Outras marcas brasileiras, principalmente do segmento de “beachwear”, têm potencial para chegar no mercado mundial.

Quem também pretende aproveitar a demanda da Copa é o Ibraf (Instituto Brasileiro de Frutas), que busca desenvolver uma indústria que produz 43 milhões de toneladas de frutas de climas tropicais, subtropicais e temperadas, mas que atualmente exporta apenas 31% de sua produção. O mercado também mostra oportunidades para o açaí e para a água de coco.

 

Contato