Teleconferência

Cemig pretende reduzir custos de transmissão em mais de 20%

Companhia mineira decidiu por renovar apenas ativos de transmissão no âmbito das consições propostas pelo governo para contratos com vencimentos a partir de 2015

SÃO PAULO  – O diretor-presidente da Cemig (CMIG4), Djalma Bastos de Morais, afirmou em teleconferência que acontece na tarde desta quarta-feira (5), que pretende reduzir em mais de 20% os custos na área de transmissão para atender às medidas do governo em relação à antecipação das renovações de contratos.

A companhia anunciou na última quarta-feira que não concordou em assinar a renovação das concessões de dezoito usinas hidrelétricas da empresa, cujos contratos de concessão expiram nos próximos anos. A empresa, porém, optou por aceitar as novas condições para os seus ativos de transmissão de sua subsidiária Cemig Geração e Transmissão. 

Segundo o presidente da companhia, a decisão foi tomada considerando as mudanças realizadas pelo governo por meio da Medida Provisória 591, que altera termos em relação aos valores de indenizações de ativos estabelecidas pela MP 579.

Em complemento, o diretor de relação com investidores da companhia, Luiz Fernando Rolla, afirmou que os estudos para chegar a essas decisões consideraram os cenários mais conservadores possíveis.

Ele informou ainda que será convocada uma assembleia de acionistas, a fim de revelar os detalhes das discussões que levaram às decisões anunciadas. “Ao fazer essa convocação, vamos divulgar os estudos e vocês terão todas as informações usadas para a tomada da decisão”, explica o diretor de RI. 

Rolla afirmou ainda que as decisões não interferem no guidance da companhia, não havendo assim perspectivas de mudanças no guidance da empresa mineira. “Não vamos revisar justamente porque todas as medidas foram feitas visando preservar a conduta econômica e financeira da companhia”, conclui.