Carvão

CCX tem posição de caixa confortável até meados de 2013, diz diretor

Companhia de carvão de Eike Batista estima cumprir etapa de obtenção de licenças com folga no caixa líquida

SÃO PAULO – A CCX (CCXC3) dispõe de posição de caixa confortável pelo menos até o primeiro semestre de 2013, quando tem fim a etapa de obtenção de licenças que possibilitará desenvolver o projeto de mineração de carvão na Colômbia.

“Temos caixa líquido mais do que suficiente para seguir com essa etapa de licenciamento e engenharia”, afirmou nesta sexta-feira (9) o diretor financeiro da CCX, Leonardo Gadelha, durante teleconferência com analistas.

As disponibilidades de caixa da companhia de carvão do empresário Eike Batista totalizavam R$ 581,5 milhões em 30 de setembro deste ano, conforme dados do balanço do terceiro trimestre. 

Gadelha comentou ainda que, na etapa de construção, o investimento na mina deve ser financiado na proporção de 30% próprios e 70% de dívida. O projeto tem investimentos previstos de US$ 5,5 bilhões.