Investor Day

Ânima Educação: as estratégias da empresa para ser protagonista em 2020

Empresa vem se recuperando do ano passado para cá e está apostando forte em soluções digitais

SÃO PAULO –  A Ânima Educação (ANIM3) compartilhou seus principais insights após os resultados do terceiro trimestre deste ano durante o Investor Day transmitido com exclusividade pelo InfoMoney nesta quarta-feira (11). A empresa controla uma universidade e faculdades em diferentes cidades, além das marcas HSM e Le Cordon Bleu no Brasil. Também tem uma parceria com a Singularity University.

A empresa passou por momentos turbulentos nos últimos anos, considerando um setor bastante competitivo, o cenário macroeconômico desafiador, e a mudança no perfil dos estudantes que buscaram mais e mais a dinâmica digital e os cursos a distância – produtos que concorrentes como a Kroton e Yduqs ofereceram antes e de forma mais bem estruturada.

No entanto, a Ânima vem se recuperando do ano passado para cá e está apostando forte em soluções digitais e na área comercial para crescer em 2020. Considerando os últimos 12 meses, as ações apresentaram valorização de cerca de 40%.

PUBLICIDADE

“Encerramos o terceiro trimestre de 2019 com conquistas que reafirmam e reforçam as escolhas feitas para incremento de nossos resultados e evidenciam nosso comprometimento em realizar movimentos consistentes de recuperação de nossas margens em todos os níveis”, diz a empresa em seu relatório de resultados.

A empresa passou de uma margem Ebitda de -0,2 pontos percentuais no terceiro trimestre de 2018, para 2.0 no mesmo período de 2019. “A evolução da margem é consistente e adequada ao nosso nível de desempenho esperado”, afirmou André Tavares, CFO da Ânima Educação.

Entre os principais motivos para a melhora, o executivo destacou o amadurecimento das unidades abertas, que estão “performando muito bem”, a gestão granular de custos e despesas, a redução do gap de rentabilidade entre as aquisições realizadas em 2016 e as unidades maduras e a melhora de experiência do aluno em ambiente digital.

Como parte desse processo, está a aposta em soluções digitais, incluindo um mapeamento da experiência do aluno para melhorar as etapas entre entrada na faculdade ou universidade até a rematrícula no próximo semestre.

Considerando o acumulado do ano até setembro, os investimentos do grupo totalizaram R$93,7 milhões ou 10,9% sobre a Receita Líquida, um aumento de 1,5pp comparado aos 9,4% reportados no mesmo período do ano passado.

“Esse nível de investimento é impactado pelas unidades da expansão orgânica, através do amadurecimento das unidades abertas entre julho de 2016 e janeiro de 2019. Também continuamos realizando investimentos relacionados ao desenvolvimento de nossa plataforma de sistemas e tecnologia aplicada à educação dentro do contexto do nosso processo de transformação digital”, afirma a empresa.

PUBLICIDADE

Captação

O principal destaque foi que, pela primeira vez nos últimos quatro anos, a empresa apresentou um crescimento anual no ticket médio de ingressantes, fruto de uma série de iniciativas internas.

Cristóvão Ferrara, diretor de Marketing do grupo, explicou que em um cenário bastante competitivo, em que “as empresas trabalham com marketing agressivo sem focar na qualidade e em práticas educacionais”, a empresa sofreu um impacto.

“Hoje as concorrentes falam muito mais de precificação, bolsas e focam no varejo e pouco na educação. Nós buscamos cada vez mais, qualidade. Mas a Ânima não ficou isenta e sofreu no seu ticket médio de ingressantes nos últimos anos”, afirma o executivo.

Segundo Ferrara, 70% das instituições do grupo têm notas 4 e 5 no MEC (Ministério da Educação). “Por isso, tem uma incompatibilidade entre curva de ticket e qualidade de ensino que oferecemos”, afirma. A empresa tem como um dos focos para 2020 reverter essa tendência.

Segundo Ferrara, para fazer isso a empresa vai investir em um novo posicionamento: “educação que habilita o futuro”, apostando em soluções digitais. “Queremos que nosso aluno respire essa promessa e que essa experiencia digital seja dentro de sala de aula”, afirma o diretor de marketing.

Além disso, melhor Guilherme Soarez, vice-presidente de Crescimento e Educação Continuada da Anima Educação, acrescentou um esforço na melhora dos processos de governança trazendo mais agilidade e planejamento para todas as ações comerciais.

Aquisições

Por fim, em termos de aquisições, a empresa relembrou a última compra recente da Unisul, o primeiro passo para possível aquisição. Pelo acordo, a Ânima terá prazo até 4 de janeiro de 2021 para fazer a opção de compra da Unisul, que atua em Tubarão e Florianópolis, ambos em Santa Catarina, além de polos espalhados por outras cidades do estado.

Segundo a empresa, “instituições interessantes sempre existem e todos os players vão querer adquirir. Mas são elas vão escolher os parceiros. Então nosso trabalho não é na hora da negociação, mas todo dia. A Ânima não está preocupada se a competição aumentou ou não, está preocupada em fazer um bom trabalho com seus alunos todo dia, o resto é consequência”, disse a empresa durante o Investor Day.

“O ano de 2019 tem sido um ano de muito aprendizado e consistente evolução de processos e ferramentas internas, diretamente associados ao amadurecimento constante do projeto de transformação digital”, finaliza o relatório da empresa.

As ações da empresa (ANIM3) fecharam o pregão desta quarta-feira (11) com alta de 2,3%, e, no mês, acumulam alta de 10,3%.

Invista  seu dinheiro para ser sócio de empresas. Abra uma conta gratuita na Clear.