Crise

American Airlines deve demitir 19 mil funcionários quando o auxílio para pagamento da folha expirar nos EUA

A American Airlines é a primeira grande transportadora aérea a divulgar a extensão do encolhimento de suas operações para se ajustar à crise no setor

Aprenda a investir na bolsa

(Bloomberg) — American Airlines cortará 19.000 empregos assim que o auxílio do governo à folha de pagamento expirar, conforme está programado para 1º de outubro.

Cerca de 17.500 funcionários serão dispensados, o que significa que podem ser chamados de volta quando as condições melhorarem, enquanto 1.500 cortes de pessoal de gestão anunciados anteriormente entrarão em vigor, disse a companhia aérea por e-mail nesta terça-feira.

A American Airlines é a primeira grande transportadora aérea a divulgar a extensão do encolhimento de suas operações para se ajustar à queda do número de passageiros, de 70% em relação ao ano passado.

Aprenda a investir na bolsa

O plano da American Airlines é o prenúncio de milhares de cortes de empregos nas companhias aéreas dos EUA depois de 30 de setembro, quando expiram as proteções de empregos vinculadas à ajuda financeira federal.

O debate sobre a extensão de seis meses do programa governamental de apoio à folha de pagamento de US$ 25 bilhões para transportadoras de passageiros parou no Congresso.

A American Airlines disse que os cortes de empregos poderiam ser evitados se os legisladores estendessem o apoio à folha de pagamento.

“Viemos até vocês muitas vezes durante a pandemia, frequentemente com atualizações preocupantes sobre um mundo que nenhum de nós poderia ter imaginado”, escreveram o CEO Doug Parker e presidente Robert Isom em carta aos funcionários, divulgada em comunicado da empresa. “Hoje é a mensagem mais difícil que tivemos para compartilhar.”

As ações da American Airlines caíam 3,6% para US$ 12,96 às 11:28 em Nova York, um dia depois que as companhias aéreas se recuperaram com expectativas otimistas para tratamentos e vacinas contra o coronavírus. As ações caíram 53% no acumulado ano até segunda-feira.

Com base na demanda atual, a American Airlines deve voar menos de 50% de sua programação normal no quarto trimestre, com voos internacionais de longa distância em apenas 25% dos níveis de 2019, disseram Parker e Isom.

PUBLICIDADE

Os cortes de empregos programados reduzirão o emprego total da American Airlines para menos de 100.000, em comparação com cerca de 140.000 em março. Cerca de 12.500 trabalhadores deixaram voluntariamente a empresa e 11.000 estarão de licença a partir de 1º de outubro.

A companhia aérea com sede em Fort Worth, no Texas, avisou anteriormente que até 25.000 trabalhadores poderiam ser demitidos, enquanto a United Airlines estima seu número em 36.000.

Delta Air Lines disse na segunda-feira que dispensará 1.941 pilotos, mas não detalhou mudanças para outros grupos de funcionários. Southwest Airlines disse que um número suficiente de funcionários se aposentou antecipadamente e deixou a empresa, que não tem licenças programadas até o final deste ano.

Mais de 150.000 trabalhadores nas quatro maiores companhias aéreas dos EUA já saíram antecipadamente ou concordaram em ter licenças temporárias por períodos diferenciados.

Newsletter InfoMoney
Informações, análises e recomendações que valem dinheiro, todos os dias no seu email:
Concordo que os dados pessoais fornecidos acima serão utilizados para envio de conteúdo informativo, analítico e publicitário sobre produtos, serviços e assuntos gerais, nos termos da Lei Geral de Proteção de Dados.
check_circle_outline Sua inscrição foi feita com sucesso.
error_outline Erro inesperado, tente novamente em instantes.