Ação ON da Usiminas sobe 29,11% e lidera ganhos do Ibovespa no mês

Ativo USIM3 teve desempenho descolado da ação preferencial, por conta da volta da possibilidade de tag along

SÃO PAULO – Após encerrarem fevereiro como a maior queda da carteira teórica do Ibovespa, as ações ordinárias da Usiminas (USIM3) terminaram o mês de março com a maior valorização do índice, com alta de 29,11% e cotadas a R$ 19,80, enquanto o benchmark da bolsa brasileira caiu 1,98% no período.

O desempenho descolado em relação ao ativo USIM5 no terceiro mês de 2012 (+3,75%, R$ 12,01) se deve à forte entrada de acionistas minoritários na ação ON, por conta da volta da possibilidade de tag along, avalia Victor Penna, analista do BB Investimentos. “Parece que a Ternium tem mandado bastante executivos para a Usiminas, com isso, traz de volta à pauta o possível acionamento do tag along por causa da mudança de controle, fato que pode beneficiar os minoritários”, afirma.

Resultados e foco em mineração
No início do mês, em 7 de março, a Usiminas revelou seus resultados referentes ao acumulado do ano de 2011 e do quarto trimestre do mês em questão. Nos últimos três meses do ano passado, a empresa apontou lucro líquido de R$ 77 milhões, o que representa queda de 72,5% em relação aos R$ 288 milhões do mesmo período do ano anterior. No ano, o lucro caiu 74%, para R$ 404 milhões. 

PUBLICIDADE

“O balanço continuou fraco e não trouxe novidades. Entretanto, a possibilidade da companhia se desfazer das unidades mecânica e automotiva acabou sendo recebida de forma positiva pelo mercado, uma vez que essas vendas poderiam trazer a entrada de R$ 3,5 bilhões para o caixa da Usiminas. Assim, a empresa poderia sair de setores menos representativos e com margem de rentabilidade menores, abrindo espaço para investimentos no segmento de mineração e aumentando as chances da empresa atingir seu target de produção até 2015 de 29 milhões de toneladas”, avalia o analista.

Destaques do mês
Entre as maiores altas do Ibovespa no mês, destaque também para as ações de Duratex (DTEX3, R$ 11,51, +19,77%), Hypermarcas (HYPE3, R$ 12,85, +14,94%), Embraer (EMBR3, R$ 14,64, +14,38%), TAM (TAMM4, R$ 45,50, +13,75%) e Telemar (TNLP3, R$ 26,00, +12,31%).