Zelensky visita região de Kharkiv e diz que situação é “extremamente difícil”

Russos têm feito incursões na região desde sexta-feira, forçando os soldados ucranianos a tentar manter a linha em uma nova frente e explorando meses de atrasos no fornecimento de armas ocidentais

Reuters

O presidente ucraniano Volodymyr Zelenskiy - 16/5/2024 (Divulgação via Reuters)

Publicidade

Kiev (Reuters) – O presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, viajou para a cidade de Kharkiv, no nordeste da Ucrânia, nesta quinta-feira (16), descrevendo a situação do campo de batalha na região como “extremamente difícil”, mas sob controle, enquanto a Rússia tenta pressionar sua nova ofensiva além das áreas de fronteira.

Os militares de Kiev disseram que suas forças estavam lutando contra as tropas russas nos distritos do norte da cidade de Vovchansk, mas que os invasores não tinham conseguido penetrar mais profundamente na cidade fronteiriça, cerca de 45 km a nordeste da cidade de Kharkiv.

A investida russa no norte da região de Kharkiv fez pequenas incursões desde sexta-feira, forçando os soldados ucranianos a tentar manter a linha em uma nova frente e explorando meses de atrasos no fornecimento de armas ocidentais.

Continua depois da publicidade

“A direção continua extremamente difícil – estamos fortalecendo nossas unidades”, disse Zelensky depois de realizar uma reunião na cidade com seu principal comandante e líderes militares seniores. Ele adiou todas as suas viagens ao exterior na quarta-feira, à medida que a situação no campo de batalha se deteriora.

Nova ofensiva russa

Kharkiv, a segunda maior cidade da Ucrânia, que hoje abriga cerca de 1,3 milhão de pessoas, tem sido bombardeada há meses por ataques aéreos que os defensores lutam para deter com as defesas aéreas no fim em uma cidade a apenas 30 km da fronteira.

As forças russas realizaram duas investidas principais na região, uma das quais foi em direção a Vovchansk, a 5 km da fronteira que, se capturada, seria o ganho mais significativo de Moscou na incursão até agora.

Continua depois da publicidade

“Os planos do inimigo de penetrar mais profundamente na cidade de Vovchansk e ganhar um ponto de apoio lá foram frustrados”, disse o Estado-Maior ucraniano em um comunicado.

A Ucrânia tem se esforçado para retirar os civis da cidade e de outras áreas de fronteira e cerca de 8.000 pessoas deixaram suas casas até o momento.

O ministro do Interior ucraniano, Ihor Klymenko, afirmou em um comunicado que os militares russos estavam tomando civis no norte de Vovchansk e os levando para porões.

Continua depois da publicidade

Ele acusou as forças russas de matar um morador de Vovchansk que tentou fugir a pé e se recusou a obedecer às ordens.