Valor da tarifa do metrô de Buenos Aires será quadruplicada para 574 pesos nesta 6ª

Os preços do sistema de metrô mais antigo da América Latina subirão de 125 pesos (R$ 0,72) para 574 pesos (R$ 3,32)

Bloomberg

Uma estação de metrô em Buenos Aires, Argentina, na quarta-feira, 15 de maio de 2024 (Anita Pouchard Serra/Bloomberg)

Publicidade

Os passageiros em Buenos Aires verão as tarifas do metrô quadruplicarem na manhã de sexta-feira (17), consequência da política de austeridade do presidente Javier Milei.

Os preços do sistema de metrô mais antigo da América Latina subirão de 125 pesos (R$ 0,72) para 574 pesos (R$ 3,32), uma das mudanças da noite para o dia mais acentuadas desde que o governo de Milei assumiu o poder em 10 de dezembro.

Embora o metrô seja regulamentado pela cidade e operado por uma empresa, Milei está cortando subsídios federais para o transporte público de forma generalizada, forçando alguns governos locais a aumentar os preços.

Continua depois da publicidade

Um juiz argentino retirou nesta quinta-feira (16) uma ordem judicial temporária que suspendia o aumento de preços programado, permitindo que o plano avançasse, segundo o jornal La Nacion.

Os preços dos ônibus e trens na região metropolitana de Buenos Aires também já subiram, mas nenhum deles com uma mudança única como o metrô. Na verdade, o governo de Milei adiou aumentos adicionais nos preços dos transportes, e o aumento nas tarifas do metrô deveria acontecer no início deste ano.

As viagens de metrô estavam programadas para chegar a 757 pesos (R$ 4,38) até junho, de acordo com o diário oficial do governo municipal de fevereiro, embora não esteja claro agora se os preços continuarão a subir novamente no próximo mês.

Continua depois da publicidade

Embora as tarifas de metrô fortemente subsidiadas fossem amplamente vistas como insustentáveis, os argentinos em todo o país já se debatiam com uma inflação anual de 289%, um atraso no crescimento salarial e uma recessão cada vez mais profunda, mesmo antes do aumento dos preços de sexta-feira.

© 2024 Bloomberg L.P.