Trump é multado em US$ 355 mi e não poderá atuar como empresário em NY por 3 anos

Na decisão, juiz Arthur Engoron escreveu que Trump e os outros réus no processo “são incapazes de admitir o erro dos seus atos”

Reuters

Ex-presidente dos EUA Donald Trump e juiz Arthur Engoron ouvem argumentos iniciais da advogada Alina Habba, durante julgamento de Trump, em croqui do tribunal 02/10/2023 REUTERS/Jane Rosenberg

Publicidade

NOVA YORK (Reuters) – Donald Trump precisa pagar 354,9 milhões de dólares em indenização por ter inflacionado seu patrimônio para enganar credores, decidiu um juiz de Nova York nesta sexta-feira, dando ao ex-presidente dos EUA mais um revés legal em um caso civil que ameaça seu império imobiliário.

O juiz Arthur Engoron também proibiu Trump de exercer funções como funcionário ou diretor de qualquer empresa de Nova York durante três anos. Engoron cancelou a sua decisão anterior, de setembro, que ordenava a “dissolução” das empresas que controlam pilares do império imobiliário de Trump, dizendo nesta sexta-feira que isso já não era necessário, porque estava nomeando um monitor independente e um diretor de compliance para supervisionar os negócios de Trump.

Na decisão, Engoron escreveu que Trump e os outros réus no processo “são incapazes de admitir o erro dos seus atos”.

Continua depois da publicidade

O processo movido pela procuradora-geral de Nova York, Letitia James, acusou Trump e as empresas de sua família de exagerarem seu patrimônio em até 3,6 bilhões de dólares por ano durante uma década para enganar banqueiros a lhes darem melhores termos de empréstimos.
A advogada de Trump Alina Habba disse em um comunicado que a decisão foi uma “injustiça manifesta” e o “ápice de uma caça às bruxas de vários anos, politicamente alimentada” contra ele.

“Não se trata apenas de Donald Trump — se esta decisão se mantiver, servirá como um sinal para todos os americanos de que Nova York já não está aberta para negócios”, disse Habba, acrescentando que planeja recorrer.

Trump e os seus filhos adultos, Don Jr. e Eric, eram réus no processo. Don Jr. e Eric Trump foram condenados pelo juiz a pagar 4 milhões de dólares cada um.

Trump nega ter feito algo errado e classificou o caso como uma vingança política de James, uma democrata eleita.

O caso civil de fraude pode ser um duro golpe ao império imobiliário de Trump, no momento em que o empresário que se tornou político lidera a corrida pela indicação republicana para enfrentar o presidente democrata, Joe Biden, na eleição de 5 de novembro.

Durante um depoimento sinuoso e em tom de desafio em novembro, Trump admitiu que os valores de algumas das suas propriedades eram imprecisos, mas insistiu que os bancos eram obrigados a fazer suas próprias análises.