Cinco pessoas morrem após voo da JAL colidir com avião de auxílio humanitário em Tóquio

Um porta-voz da Japan Airlines disse que a aeronave partiu do aeroporto de Shin-Chitose, na ilha de Hokkaido, no norte do país

Reuters

Avião da Japan Airlines pega fogo no aeroporto de Haneda em Tóquio 2/1/2024 REUTERS/Issei Kato

Publicidade

TÓQUIO (Reuters) – Todas as 379 pessoas a bordo de um voo da Japan Airlines (JAL) escaparam milagrosamente do avião em chamas após colisão com aeronave da Guarda Costeira no aeroporto de Haneda, em Tóquio, nesta terça-feira, mas cinco dos seis tripulantes do avião da Guarda Costeira morreram.

Imagens ao vivo na emissora pública NHK mostraram o Airbus A350 da JAL pegar fogo ao derrapar na pista pouco antes das 18h, horário local. Mais tarde, o avião foi dominado pelo incêndio, apesar dos esforços das equipes de resgate para controlar o fogo.

Vídeos e imagens compartilhadas em redes sociais mostraram passageiros gritando dentro da cabine do avião cheia de fumaça e correndo na pista após escaparem por um escorregador. 

Continua depois da publicidade

Em certo momento, é possível ouvir a voz de uma criança gritando: “Deixe a gente sair logo! Deixe a gente sair logo”. 

Todos os 367 passageiros e 12 tripulantes foram retirados do avião em chamas, mas o fogo não foi extinto até pouco depois da meia-noite, após queimar por mais de seis horas, disse a emissora TBS, citando o departamento dos bombeiros. 

“Estava imaginando o que havia acontecido e então senti o avião tombando para o lado na pista e senti um grande solavanco”, disse Satoshi Yamake, de 59 anos, funcionário de uma empresa de telecomunicações que estava na aeronave. “Os comissários de bordo nos disseram para manter a calma e nos orientaram a sair do avião”. 

Pelo menos 17 pessoas no avião de passageiros ficaram feridas, segundo a Agência de Administração de Incêndios e Desastres do Japão, e quatro delas foram levadas ao hospital. Nenhum dos ferimentos pareceu representar risco de vida. 

O ministro dos Transportes, Tetsuo Saito, confirmou que cinco tripulantes da Guarda Costeira morreram. O piloto, de 39 anos, escapou, mas estava ferido. 

Uma autoridade do ministério disse em entrevista coletiva que o avião da JAL estava tentando pousar normalmente quando colidiu com um avião de patrulha marítima Dash-8 da Guarda Costeira, construído pela Bombardier. 

Não houve relatos de problemas no motor ou em outras partes do avião antes do pouso, disse a autoridade. 

A Guarda Costeira disse que seu avião dirigia-se a Niigata, na costa oeste do Japão, para entregar auxílio às pessoas afetadas por um poderoso terremoto no dia do Ano Novo que matou 55 pessoas. 

O ministro dos Transportes disse que a causa do acidente não era clara e que o Conselho de Segurança dos Transportes do Japão, a polícia e outros departamentos continuariam investigando. 

Um porta-voz da Japan Airlines disse que sua aeronave partiu do aeroporto de New Chitose, na montanhosa ilha de Hokkaido, no norte.

Mais cedo, primeiro-ministro japonês, Fumio Kishida, instruiu as agências relevantes a coordenarem-se para avaliar os danos rapidamente e fornecer informações ao público, de acordo com o seu gabinete.