Socorristas perdem esperança de encontrar sobreviventes na ponte de Baltimore

Oito trabalhadores que estavam na ponte no momento do desabamento caíram no rio e seis continuavam desaparecidos até ontem à noite; dois deles foram encontrados com vida

Reuters

Vista de drone do incidente na ponte de Baltimore - 26/3/2024 (NTSB/Divulgação via Reuters)

Publicidade

Baltimore (Reuters) – Os socorristas perderam a esperança de encontrar mais sobreviventes do colapso da ponte de Baltimore, disse a guarda costeira, enquanto os esforços mudavam na quarta-feira para a busca de corpos de desaparecidos e mais respostas para o motivo pelo qual um navio porta-contêineres se chocou contra a ponte.

Mergulhadores devem retornar hoje às águas que cercam as ruínas retorcidas da ponte no porto de Baltimore para procurar seis trabalhadores desaparecidos e agora considerados mortos.

O desastre forçou o fechamento por tempo indeterminado do Porto de Baltimore, um dos mais movimentados da costa leste dos Estados Unidos.

Continua depois da publicidade

À medida que as chances de sobrevivência se esvaíam, a busca pelos trabalhadores desaparecidos foi suspensa na noite de terça-feira, 18 horas depois que eles foram jogados da ponte Francis Scott Key, que caiu, nas águas geladas do rio Patapsco.

“Não acreditamos que encontraremos nenhum desses indivíduos com vida”, disse o contra-almirante da guarda costeira Shannon Gilreath.

A Polícia Estadual de Maryland e as autoridades da guarda costeira dos EUA disseram que a visibilidade reduzida e as correntes cada vez mais traiçoeiras no canal repleto de destroços tornaram os esforços de busca no rio muito arriscados para continuar durante a noite.

Continua depois da publicidade

As equipes de resgate retiraram dois outros trabalhadores da água com vida na terça-feira, e um deles foi hospitalizado. Os seis supostos mortos são trabalhadores de México, Guatemala e El Salvador, de acordo com o Consulado Mexicano em Washington.

As autoridades disseram que todos os oito faziam parte de uma equipe de trabalho que consertava buracos quando o navio porta-contêineres Dali, com bandeira de Cingapura, saindo de Baltimore com destino ao Sri Lanka, bateu em um pilar de suporte da ponte.