Novo acidente com migrantes no Mar Mediterrâneo pode ter matado 61 pessoas

Barco com 86 refugiados foi atingido por fortes ondas na cista da Líbia, um dos postos de partida para chegar à Europa

Roberto de Lira

Migrantes sírios desembarcando na ilha grega de Lesbos (Ashley Cooper/Corbis via Getty Images)

Publicidade

Pelo menos 61 migrantes devem ter se afogado no Mar Mediterrâneo após o navio em que estavam ter sido atingido por fortes ondas na costa da Líbia, informou a Organização Internacional para as Migrações (OIM, na sigla em inglês) faz parte do Sistema das Nações Unidas.

A Líbia e a Tunísia são os principais pontos de partida para pessoas que arriscam viagens marítimas perigosas na esperança de chegar à Europa, via Itália.

Segundo informações dos 25 sobreviventes resgatados, o barco estava com 86 pessoas, vindas da Nigéria, Gâmbia e outros países africanos.

Continua depois da publicidade

As autoridades levaram os sobreviventes para um centro de detenção na Líbia e a OIM disse que “forneceu apoio médico” para eles, que estavam todos em boas condições, segundo agências de notícias internacionais.

Flavio Di Giacomo, um porta-voz da OIM, escreveu na rede social X (antigo Twitter) que mais de 2.250 pessoas morreram até agora este ano na rota de migração do Mediterrâneo Central, um “número dramático que demonstra que infelizmente não está sendo feito o suficiente para salvar vidas no mar”.

Mais de 153 mil refugiados e migrantes chegaram a Itália neste ano vindos da Tunísia e da Líbia, segundo a agência da ONU para os refugiados.