Justiça australiana suspende veto de vídeo de ataque a bispo, em vitória para a X

A proibição temporária da reprodução das imagens havia sido definida em 22 de abril

Equipe InfoMoney

Celular com o logo do X, ex-Twitter (Gabby Jones/Bloomberg)

Publicidade

Um tribunal federal da Austrália suspendeu liminarmente, nesta segunda-feira (13), a proibição de a X, ex-Twitter, mostrar um vídeo de ataque a um bispo em uma igreja de Sydney.  

A proibição temporária das imagens havia sido definida em abril, mas o juiz federal rejeitou o pedido para estender a ordem judicial, que expirou nesta segunda-feira. 

A medida foi solicitada pela Comissão de Segurança Eletrônica da Austrália (eSafety), com pedidos para bloqueio de exibição por todas as redes sociais. Segundo a eSafety, a X foi a única entre as plataformas que se recusou a remover o vídeo. 

Continua depois da publicidade

Elon Musk, dono da X, argumentou que estava defendendo um princípio de liberdade de expressão. Os legisladores australianos o acusaram de arrogância e de falta de senso de responsabilidade social. 

As postagens mostram um ataque a facadas contra um bispo durante um culto transmitido ao vivo em uma igreja no subúrbio de Sydney. 

O juiz federal não divulgou seus argumentos para não renovar a liminar, que estenderia o bloqueio temporário. A decisão final sobre o caso será tomada nesta quarta (15).  

Continua depois da publicidade

Ao todo, são 65 postagens que contêm vídeos do ataque.