Javier Milei se prepara para primeiro grande protesto de ‘piqueteros’ contra seu governo

Organizadores esperam realizar marcha com 50 mil pessoas; Casa Rosada amanheceu cercada por grades

Roberto de Lira

Protesto na Argentina (Foto: Gustavo Garello/Jam Media/Getty Images)

Publicidade

A Casa Rosa, sede do governo argentino na capital Buenos Aires, amanheceu cercada por grades nesta quarta-feira (20), data que tem sido considerada como um grande teste para o governo do presidente Milei, que tomou posse há pouco mais de uma semana. Está previsto para estar tarde o primeiro protesto dos “piqueteros”, que segundo os organizadores pode levar até 50 mil pessoas em marcha até o palácio do governo.

Também será a primeira vez que será colocado a prova o Protocolo de Ordem Pública, anunciado na semana passada pela ministra da Segurança, Patricia Bullrich, elaborado exatamente para coibir abusos de protestos com fechamento de ruas e avenidas.

Uma das medidas é a suspensão de pagamentos de benefícios sociais para quem participar desse tipo de protesto. A frase que estampa vários cartazes estampados pela capital “el que corta, no cobra” (“quem bloqueia, não recebe”, numa tradução livre), foi repetida pelo próprio Milei em uma de suas últimas postagens na rede social X.

Continua depois da publicidade

O protocolo inclui sanções severas para os envolvidos em atos contra a livre circulação dos argentinos e afeta quem bloqueia, quem transporta, quem organiza e quem financia esse tipo de protesto. Casa Rosada.

Segundo a Unidad Piquetera e outras organizações multisetoriais, os protestos contra as políticas econômicas e sociais já anunciada pelo  governo do A Liberdade Avança, começarão em frente ao Congresso e seguirão pela Avenida de Maio, terminando na sede do governo.

Embora protocolo anunciado por Bullrich aponte que deve haver uma coordenação de todo os níveis de governo e províncias na prevenção, o governador peronista Axel Kicillof já anunciou que irá participar.

Os organizadores da marcha prometem a presença de advogados, deputados e ativistas de direitos humanos para salvaguardar os direitos dos manifestantes.

Milei não se intimidou com a manutenção do protesto e agendou para o meio-dia de hoje seu primeiro pronunciamento em rede nacional, para anunciar seu plano de desregulamentação econômica.