Forças dos EUA e do Reino Unido repelem “maior ataque” dos houthis no Mar Vermelho

O ministro da Defesa do Reino Unido disse que esse foi o maior ataque na região pelos militantes até o momento

Reuters

Publicidade

WASHINGTON/LONDRES (Reuters) – As forças navais dos Estados Unidos e do Reino Unido abateram 21 drones e mísseis disparados pelos houthis, baseados no Iêmen, na terça-feira, em direção às rotas marítimas internacionais no sul do Mar Vermelho, informaram os Estados Unidos.

O ministro da Defesa do Reino Unido disse que esse foi o maior ataque na região pelos militantes até o momento, conforme a guerra de três meses entre Israel e o Hamas em Gaza se espalha para outras partes do Oriente Médio.

O Comando Central dos EUA afirmou que não houve registro de feridos nem de danos, acrescentando que esse foi o 26º ataque houthi às rotas comerciais de navegação no Mar Vermelho desde 19 de novembro.

Continua depois da publicidade

Os houthis, que controlam a maior parte do Iêmen, têm atacado a rota para demonstrar seu apoio ao Hamas, grupo islâmico palestino.

Os ataques abalaram seriamente o comércio internacional na principal rota entre a Europa e a Ásia, que responde por cerca de 15% do tráfego marítimo mundial.

Muitas empresas de navegação foram forçadas a redirecionar suas embarcações, fazendo viagem mais longa ao redor da África, embora várias grandes empresas de petróleo, refinarias e casas comerciais tenham continuado a usá-la.

O Comando Central dos EUA disse que 18 drones, dois mísseis de cruzeiro antinavio e um míssil balístico antinavio foram abatidos pelas duas marinhas no incidente.

O ministro da Defesa britânico, Grant Shapps, declarou nesta quarta-feira: “Durante a noite, o (navio da Marinha Real) HMS DIAMOND, juntamente com navios de guerra dos EUA, repeliu com sucesso o maior ataque dos houthis apoiados pelo Irã no Mar Vermelho até o momento”.

Shapps repetiu um aviso do Reino Unido e de seus aliados, incluindo os EUA e a Alemanha, de que os ataques são inaceitáveis, dizendo ao grupo militante que ele “arcará com as consequências” se continuar.

“Tomaremos as medidas necessárias para proteger vidas inocentes e a economia global”, afirmou ele.

Os houthis prometeram continuar os ataques até que Israel interrompa o conflito em Gaza e alertaram que atacariam navios de guerra dos EUA se o próprio grupo de milícia fosse alvo.