Economia domina debate acalorado entre Sunak e Starmer no Reino Unido

Com troca de acusações e respostas ríspidas, os líderes conservador e trabalhista discutiram sobre como lidar com a crise do custo de vida e as crescentes listas de espera no serviço público de saúde

Reuters

Keir Starmer e Rishi Sunak realizam debate eleitoral em Manchester, no Reino Unido - 04/06/2024 (Foto: Jonathan Hordle/ITV/Divulgação via Reuters)

Publicidade

Londres (Reuters) – O primeiro-ministro Rishi Sunak e o desafiante trabalhista Keir Starmer discutiram na noite de terça-feira (4) sobre como impulsionar a economia britânica, com o primeiro-ministro acusando o partido de oposição de querer aumentar os impostos se conquistar o poder na eleição de 4 de julho.

Tanto Sunak, um conservador, quanto Starmer mantiveram suas linhas de campanha em seu primeiro debate, apenas algumas semanas antes de uma eleição geral que as pesquisas de opinião sugerem que o Partido Trabalhista deverá vencer.

Sunak alegou que somente ele tinha um plano para estimular o crescimento econômico insignificante do Reino Unido e Starmer retratando os conservadores como presidindo 14 anos de caos econômico.

Continua depois da publicidade

Em um debate acalorado — uma característica recente no Reino Unido e que faz com que cada vez mais eleitores se sintonizem com a política — os dois líderes discutiram sobre como lidar com a crise do custo de vida e as crescentes listas de espera no serviço público de saúde e como reduzir a imigração.

A maioria das perguntas ilustrou o que muitos eleitores estão enfrentando: uma crise de custo de vida em que alguns lutam para pagar suas contas domésticas, longas esperas no serviço de saúde e padrões mais baixos no sistema educacional.

“Tempos incertos”

Poucas novidades foram extraídas de suas respostas, mas uma pesquisa de opinião realizada imediatamente após o debate sugeriu que Sunak havia vencido a disputa.

Continua depois da publicidade

“Keir Starmer está pedindo que lhe entreguem um cheque em branco quando ele ainda não disse o que vai comprar com ele ou quanto isso vai custar”, disse Sunak em seus comentários finais. “Em tempos incertos, simplesmente não podemos nos dar ao luxo de ter um primeiro-ministro incerto.”

Starmer respondeu dizendo que jamais ofereceria “os artifícios ou as promessas não cumpridas que Rishi Sunak faz”.

“Imagine como você se sentiria ao acordar em 5 de julho e ver mais cinco anos de conservadores, mais cinco anos de declínio e divisão”, disse ele.

Continua depois da publicidade

“Agora, imagine virar a página com um governo trabalhista que arregaça as mangas e dá continuidade ao trabalho… A escolha nesta eleição é clara: mais caos com os conservadores ou a chance de reconstruir o Reino Unido com um Partido Trabalhista mudado.”

Sunak repetiu a linha de ataque dos conservadores de que os trabalhistas não tinham nenhum plano para o país além de aumentar “os impostos de todos em 2.000 libras”.

“Anotem minhas palavras, os trabalhistas aumentarão seus impostos. (Isso) está no DNA deles. Seu trabalho, seu carro, sua aposentadoria, o que você quiser, os trabalhistas vão taxar”, disse Sunak.

Continua depois da publicidade

Starmer não negou a acusação imediatamente, mas depois chamou o número de 2.000 de “absurdo”. O Partido Trabalhista tem dito repetidamente que não aumentará o Imposto de Renda ou as contribuições para a seguridade social se conquistar o poder.

“Meu pai trabalhava em uma fábrica, ele era ferramenteiro, minha mãe era enfermeira. Não tínhamos muito dinheiro quando eu estava crescendo”, disse o líder trabalhista a um membro da plateia que disse estar lutando para pagar suas contas.

“Portanto, conheço a angústia de se preocupar quando o carteiro chega com uma conta, que conta é essa, será que vou conseguir pagá-la? Acho que o primeiro-ministro não está entendendo muito bem.”

Continua depois da publicidade

O primeiro-ministro ouviu grunhidos quando culpou as greves pelas crescentes listas de espera no serviço de saúde, e foi recebido com risos quando disse que os números estavam diminuindo “porque eram mais altos” antes.

Imigração

Mas ele pareceu ter recuperado algum terreno com o público ao discutir como planejava lidar com a imigração, retratando seu plano de enviar requerentes de asilo ilegais para Ruanda como um impedimento que faltava ao Partido Trabalhista e dizendo que colocaria a segurança do país acima de qualquer tribunal estrangeiro.

Starmer disse que também tinha um plano para lidar com a imigração, que se tornou uma preocupação importante entre os eleitores, e que consideraria processar os pedidos de asilo em um terceiro país se isso não violasse a lei internacional.

Sunak, cuja campanha ainda não conseguiu reduzir a vantagem do Partido Trabalhista de cerca de 20 pontos percentuais nas pesquisas de opinião, partiu para o ataque, repetindo a frase de que apenas seu partido tinha um plano, enquanto os eleitores não sabiam o que Starmer pretendia fazer se ganhasse o poder.