“Confiem em mim”: primeiro-ministro do Reino Unido faz apelo antes de eleições

Rishi Sunak pediu aos eleitores que confiem nele para mantê-los seguros em um mundo cada vez mais perigoso

Reuters

Primeiro-ministro britânico, Rishi Sunak, discursa em Londres 13/05/2024 Carl Court/Pool via REUTERS

Publicidade

(Reuters) – O primeiro-ministro do Reino Unido, Rishi Sunak, pediu aos eleitores nesta segunda-feira (13) que confiem nele para mantê-los seguros em um mundo cada vez mais perigoso, listando suas realizações em um discurso bastante político antes de uma eleição nacional que deve ocorrer em algum momento deste ano.

Com seu Partido Conservador atrás do Partido Trabalhista nas pesquisas de opinião, Sunak usou um discurso conservador para tentar convencer os eleitores de que somente ele pode defender o país contra um “eixo de Estados autoritários”.

Ele atacou os trabalhistas, dizendo que o partido de oposição não pode igualar sua promessa de aumentar os gastos com defesa ou combater a imigração ilegal e que somente ele tem “um plano claro” para o futuro — acusações rejeitadas pelo líder trabalhista Keir Starmer.

Continua depois da publicidade

“A próxima eleição que o nosso país enfrentará é a eleição geral e a escolha dessa eleição geral é clara: trata-se do futuro contra o passado”, disse Sunak no think tank Policy Exchange.

“Temos uma compreensão clara de o que o futuro implica — o momento mais perigoso que conhecemos há muito tempo, mas também o mais transformador — e somente nós, somente eu, temos as ideias ousadas e o plano claro que proporcionarão um futuro seguro para o país.”

Os trabalhistas responderam acusando os conservadores de estarem supervisionando um “caos dispendioso”.

Continua depois da publicidade

“A única maneira de acabar com o caos, virar a página e começar a renovar é com uma mudança de governo”, disse Pat McFadden, coordenador da campanha nacional do Partido Trabalhista.

“Os conservadores não podem consertar os problemas do país porque eles são o problema.”

O discurso de Sunak para os eleitores prepara o cenário para o que se espera que será uma campanha eleitoral tensa, com a equipe do primeiro-ministro frustrada com o que eles acreditam ser uma falta de apreciação do que ele realizou no governo até agora.

Continua depois da publicidade

Sunak aproveitou o discurso para falar sobre as medidas que implementou até o momento, incluindo a promessa de aumentar os gastos com defesa para 2,5% do PIB por ano até 2030. Mas a maioria das perguntas feitas a ele se concentrou nas dificuldades que os conservadores têm enfrentado em 14 anos de governo.

“Não estou fingindo, nem por um segundo, que tudo nos últimos 14 anos foi perfeito, é claro que não”, disse ele. “Mas tenho orgulho do nosso histórico.”