ByteDance e TikTok gastaram US$ 7 mi em lobby para evitar proibição nos EUA, diz site

Dinheiro pago a empresas e consultores externos foi usado para tentar influenciar a votação no Congresso Americano

Equipe InfoMoney

Ilustração com bandeira dos EUA e logotipo do TikTok (REUTERS/Dado Ruvic)
Ilustração com bandeira dos EUA e logotipo do TikTok (REUTERS/Dado Ruvic)

Publicidade

O TikTok e sua controladora chinesa, a ByteDance, gastaram mais de US$ 7 milhões nos primeiros três meses do ano para tentar impedir que o Congresso dos Estados Unidos aprove uma lei que pode banir o aplicativo de mídia social no país. As informações são desta terça-feira (23), divulgadas pelo site americano CNBC.

Somente a ByteDance teria gasto US$ 2,68 milhões com lobistas para influenciar o Congresso e autoridades federais, de acordo com relatórios obtidos pelo site. Já o TikTok teria gasto mais de US$ 4,5 milhões em uma campanha publicitária para TV e redes sociais rechaçando a lei que poderia banir o aplicativo.

O site descreve como funcionários do TikTok pressionaram o Congresso e o gabinete do presidente Joe Biden para reverter os danos à plataforma. Entretanto, as iniciativas não surtiram o efeito desejado.

Continua depois da publicidade

A Câmara aprovou no último sábado (20) sua legislação ligada ao TikTok. Se sancionada, ela daria à ByteDance nove meses para vender os direitos do aplicativo nos Estados Unidos – caso contrário, o app seria proibido no país. O Senado aprovou um texto preliminar nesta terça-feira (23), o que indica que o texto definitivo pode estar prestes a ser aprovado.

Fora os gastos já mencionados, TikTok e ByteDance também tentaram influenciar os parlamentares americanos por meio de consultores externos. A soma dos valores em 2023 chegaria a US$ 1 milhão, segundo a CNBC. No total, a empreitada teria chegado a US$ 8 milhões – e pode não surtir efeito.

(Com agências internacionais)