Alaska Airlines deixa aviões Boeing 737 MAX 9 para verificações após explosão em painel de cabine

(Reuters) – A Alaska Airlines deixou em terra dezenas de aeronaves  Boeing 737 MAX 9 para verificações de segurança após uma explosão no painel da cabine forçar um avião novo, carregado de passageiros, a fazer um pouso de emergência.Na sexta-feira, um pedaço da fuselagem foi arrancado do lado esquerdo do jato logo quando ele saía […]

Reuters

Máscaras de oxigênio para passageiros pendem do teto próximo a uma janela perdida e parte da parede lateral de um voo da Alaska Airlines, em Portland, Oregon 05/01/2024 Imagem obtida a partir de mídia social Kyle Rinker via X/via REUTERS

Publicidade

(Reuters) – A Alaska Airlines deixou em terra dezenas de aeronaves  Boeing 737 MAX 9 para verificações de segurança após uma explosão no painel da cabine forçar um avião novo, carregado de passageiros, a fazer um pouso de emergência.

Na sexta-feira, um pedaço da fuselagem foi arrancado do lado esquerdo do jato logo quando ele saía de Portland, Oregon, a caminho de Ontário, na Califórnia, forçando os pilotos a voltar e pousar em segurança com 171 passageiros e seis tripulantes a bordo.

Este é o mais recente incidente envolvendo o modelo mais vendido da Boeing, que ficou paralisado por quase dois anos após acidentes em 2018 e 2019, e ocorre em um momento em que a Boeing e um grande fornecedor enfrentam uma sucessão de problemas de produção ou de qualidade.

Continua depois da publicidade

Não houve indicações imediatas da causa da aparente falha estrutural nem quaisquer relatos de ferimentos.

O CEO da companhia aérea, Ben Minicucci, disse em comunicado que a frota de 65 aviões semelhantes voltaria ao serviço somente após manutenção preventiva e inspeções de segurança, que ele espera serem concluídas nos “próximos dias”.

As autoridades de aviação dos EUA anunciaram uma investigação.