Em multiplus

Governança da Multiplus melhora após novo acordo com TAM, diz Credit Suisse

Analistas reiteram recomendação de outperform e estabelecem preço-alvo de R$ 41 por ação para o próximo ano

SÃO PAULO – Após a Multiplus (MPLU3) anunciar a aprovação por parte do quadro de diretores para a redução nos preços pagos na aquisição de bilhetes aéreos da TAM (TAMM4), o Credit Suisse revisou positivamente as estimativas para o próximo ano e reiterou a recomendação de outperform, o que indica a possibilidade do retorno do papel superar o do benchmark em pelo menos 10% a 15% nos próximos doze meses.

Conforme os números dos analistas, as projeções para a receita líquida, Ebitda ajustado (geração operacional de caixa) e lucro líquido foram revisados positivamente em 10%, 18% e 22%, respectivamente.

O Credit Suisse também rolou seu preço-alvo para 2012, passando de R$ 43 por ação no final deste para R$ 41 por papel no próximo ano, o que implica um potencial teórico de valorização de 33,55% sobre a cotação do último fechamento.

“Além do mais que óbvio impacto positivo nos custos menores, nós acreditamos que a queda nos preços é um sinal muito importante de governança corporativa ao mercado”, escrevem em relatório Luiz Campos, Igor Castro e Viccenzo Paternostro, os quais ressaltam a expectativa de uma reação positiva por parte das ações.

Governança corporativa
Os analistas chamam a atenção que havia uma preocupação – avaliada como acertada – quanto ao conflito de interesse entre as companhias, uma vez que a TAM é a controladora da Multiplus e poderia elevar os preços quando a companhia não estivesse performando bem.

“O fato interessante é que a redução de preços vem exatamente em um período difícil para a TAM por conta dos yields mais baixos e preços de petróleo mais elevados, confirmando que mesmo quando a revisão é desfavorável para o acionista controlador, e em um período particularmente mais desafiador, o modelo foi corretamente aplicado”, concluem.

 

Contato