Volume de cheques devolvidos avança 7,62% em setembro, aponta Equifax

No nono mês do ano, 2.141.183 folhas voltaram sem fundos, 4,13% a mais do que um ano antes

SÃO PAULO – A quantidade de cheques devolvidos em setembro, por falta de fundos, aumentou 7,62% em relação a agosto. Na comparação com o mesmo mês de 2007, também houve aumento, de 4,13%.

De acordo com levantamento da Equifax, no nono mês do ano, foram devolvidos 2.141.183 cheques por falta de fundos.

Retração

Segundo Alcides Leite, coordenador do Centro do Conhecimento Equifax, o aumento do volume de cheques devolvidos em setembro em comparação com o mês anterior foi resultado dos primeiros efeitos da crise financeira internacional e o maior número de dias úteis no mês.

“Com a redução da liquidez no mercado financeiro, os juros cobrados pelos bancos para as diversas linhas de crédito aumentaram significativamente nas últimas semanas. Isso levou a um encarecimento do financiamento e um maior comprometimento do orçamento com despesas financeiras”, explica o especialista.

Alcides Leites destaca ainda que as turbulências no mercado financeiro ainda gerarão efeitos negativos nos indicadores de inadimplência dos próximos meses. Porém, o adiantamento do 13º salário e a queda da inflação podem atenuar estes efeitos.

Títulos protestados

Ainda segundo o levantamento, o número de títulos protestados em setembro aumentou 5,74% frente a agosto. No nono mês do ano, houve 703.683 protestos, contra 665.453 um mês antes.

Já na comparação com o mesmo mês do ano passado, quando 610.183 títulos foram protestados, houve aumento de 15,32% no volume. Este crescimento no volume ainda não alterou a trajetória de declínio projetada.

Sobre a pesquisa

A análise de inadimplência da Equifax é baseada em informações públicas fornecidas pelo Banco Central, por meio de cartórios, juntas comerciais, fóruns e a partir das transações comerciais realizadas por 28 mil clientes em todo o País.

O banco de dados registra 338,8 milhões de informações positivas, 121 milhões sobre cheques sem fundos, 31,5 milhões de títulos protestados, 137,7 mil informações sobre falências, concordatas e recuperações judiciais e 8,7 mil registros de empresas golpistas.

PUBLICIDADE