Conteúdo editorial apoiado por

Vai de bike? Saiba como o seguro protege você, a ‘magrela’ e terceiros até fora do Brasil

Brasil conta com 40 milhões de bicicletas, mas só 100 mil delas têm proteção

Gilmara Santos

Publicidade

Modal com muita aderência entre os brasileiros, a bicicleta vem ganhando cada vez mais espaço entre os veículos de transporte no Brasil, com a vantagem de não poluir o ambiente e ainda ajudar no condicionamento físico de quem se locomove com ela.

Segundo a Aliança Bike (uma das entidades do setor), só em 2022, os brasileiros compraram 3,77 milhões de bikes. Já são cerca de 40 milhões de ‘magrelas’ (como o veículo é popularmente conhecido) circulando pelo país.

Mas, nessa mesma proporção, cresce o número de roubos e furtos delas. Em 2022 foram registrados só no estado de São Paulo 17.872 roubos e furtos, alta de 12% em relação ao ano anterior. É como forma de proteção que o seguro para bicicletas começa a ganhar tração no mercado nacional.

Masterclass

O Poder da Renda Fixa Turbo

Aprenda na prática como aumentar o seu patrimônio com rentabilidade, simplicidade e segurança (e ainda ganhe 02 presentes do InfoMoney)

E-mail inválido!

Ao informar os dados, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

Segundo Jarbas Medeiros, presidente da comissão de riscos patrimoniais massificados da FenSeg (Federação Nacional de Seguros Gerais), as seguradoras passaram a oferecer o serviço há cerca de 5 anos, em razão da crescente procura pelos clientes, que se intensificou com a pandemia.

“Cada vez mais as pessoas têm utilizado a bike, seja para atividades físicas, lazer ou mesmo locomoção. O mercado estima que cerca de 100 mil bicicletas já estão seguradas”, diz Medeiros.

Preço

O preço do seguro bike pode variar em função do valor contratado, do tipo de bicicleta e do uso. Considerando uma bike com valor contratado de R$ 10 mil com cobertura contra acidentes e roubo, danos a terceiros e assistência, o valor gira em torno de R$ 800 por ano, considerando a média do mercado.

De olho neste mercado, a Ciclic, empresa pertecente ao BB Seguros, lançou o seguro bike. “Um dos nossos objetivos é buscar e oferecer cada vez mais inovação em nosso portfólio de produtos de proteção, por isso, criamos mais essa possibilidade de seguro e ainda com oferta de personalização”, diz Bruna Melo, a COO da Ciclic.

Segundo a executiva, o produto tem coberturas fixas incluídas para roubo e furto qualificado e quebra acidental e, além delas, o cliente pode adicionar outras como transporte, cobertura internacional e invalidez acidental.

Jarbas Medeiros, que também é diretor de ramos elementares e transportes da Porto Seguro, explica que a companhia oferece proteção para danos causados à bicicleta, ao ciclista e a terceiros.

“Os segurados possuem acesso a uma variedade de serviços essenciais, como reparos em câmaras de ar, troca, conserto e lubrificação de correntes e coroas, bem como transporte do veículo e do segurado em um raio de até 150 km em caso de acidente”, explica.

Entre as coberturas possíveis, ele cita:

Carlos Nascimento, coordenador de property e engenharia da Akad Seguros, explica que o produto da empresa foi projetado para bikes novas ou usadas, originais ou modificadas.

“A proteção atende até mesmo ciclistas que não possuem a nota fiscal da bicicleta. As coberturas mais procuradas incluem roubo ou furto qualificado em todo Brasil, danos em acidentes, responsabilidade civil, transporte e participação em competições”, diz. Segundo o executivo, a Akad dobrou o número de assistências oferecidas, incluindo serviços como remoção hospitalar, transporte complementar de táxi, além de reparos de câmera de ar, troca de corrente, substituição ou regulagem de selim (assento), freios, além de chaveiro.

Expansão

O arrefecimento da pandemia fez impulsionar o mercado de seguros para bikes no Brasil, sinalizam executivos do setor consultados pelo InfoMoney. “É possível observar que a busca pelo seguro do produto bike da Porto tem representado um aumento aproximado de 48%, quando o cliente busca por seguro de bicicleta”, diz Medeiros.

Carlos Nascimento, coordenador de property e engenharia da Akad Seguros, conta que a empresa chegou perto de dobrar o número de apólices emitidas para o seguro bike em 2022. “Eram pouco mais de 39 mil, em 2021, e chegou ao patamar de 75 mil em 2022. Em 2023, com novas parcerias, a Akad deve atingir 100 mil bikes seguradas em seu portfólio”, prevê.

Veja também:

Gilmara Santos

Jornalista especializada em economia e negócios. Foi editora de legislação da Gazeta Mercantil e de Economia do Diário do Grande ABC.