Em minhas-financas / turismo

Boeing 737 Max fez pouso de emergência nos EUA nesta terça

O modelo está envolvido em uma grande polêmica após protagonizar duas quedas em menos de cinco meses; Boeing vai informar pilotos sobre atualizações do avião 

boeing 737 max
(reprodução)

SÃO PAULO - Um avião Boeing 737 Max precisou realizar um pouso de emergência nesta terça-feira (26) nos Estados Unidos. O modelo está envolvido em uma grande polêmica, após protagonizar duas quedas em menos de cinco meses

Desta vez, a aeronave era da companhia aérea americana Southwest Airlines e o pouso de emergência aconteceu em Orlando depois de problema no motor da aeronave, pouco tempo após a decolagem no aeroporto da cidade. 

O avião estava a caminho de Victorville, na Califórnia, onde ficaria estacionado, após ordem da Aviação Federal dos Estados Unidos (FAA) que decidiu que todos os aviões do modelo 737 Max parassem de fazer voos com passageiros em território americano. Por isso, estavam a bordo apenas 2 membros da tripulação e ninguém se feriu. 

A FAA abriu uma investigação sobre o caso e o avião passará por uma manutenção e revisão técnica em Orlando mesmo.  

Esse caso é mais um que entra para a lista de problemas para a empresa. Em outubro do ano passado com a Lion Air na Indonésia 189 passageiros morreram e em março deste ano outra queda causou a morte de 157 pessoas com a Ethiopian Airlines na Etiópia.   

O modelo, lançado em 2011, passou a ser entregue aos clientes apenas em meados de 2017. O avião pode transportar 186 passageiros.  

As ações da Boeing caiam 0,5% nesta quarta-feira (27) às 12h15 (horário de Brasília). No mês, os papéis despencam 16,23%.

Testes e próximos passos 

A Boeing iniciou testes de segurança para o sistema do 737 Max neste mês. O sistema de voo das aeronaves, chamado MCAS (Maneuvering Characteristics Augmentation System), é novo, e a companhia teria subestimado o poder do equipamento, que, como anteriormente revelado, posicionava a ponta da aeronave para baixo assim que o piloto automático era acionado.  

De acordo com informações do CNN, a Boeing planeja informar cerca de 200 pilotos em suas instalações em Renton, Washington, ainda nesta quarta-feira (27), sobre as correções dos aviões 737 Max envolvidos nos acidentes. 

A fabricante acredita ter resolvido problemas com o sistema de controle de voo  MCAS, atualizando o software do avião, alertas de cabine e treinamento de pilotos. No último final de semana, pilotos de cinco companhias aéreas, incluindo a American, Southwest e United, foram informados sobre as atualizações de software e testaram-nas em um simulador de voo.

"Acho as mudanças feitas farão esses aviões voltarem ao ar", disse um piloto familiarizado com as mudanças ao CNN. 

Proteja seu patrimônio com investimentos: abra uma conta gratuita na XP! 

 

Contato