Em minhas-financas / turismo

São Paulo e Rio de Janeiro desabam no ranking de cidades mais caras do mundo

Caracas, na Venezuela, é a cidade mais barata do ranking; Paris, Hong Kong e Singapura são as mais caras

São Paulo Imóveis

SÃO PAULO - Um estudo realizado pela companhia de recrutamento Talenses revelou que 91% dos profissionais brasileiros têm vontade de trabalhar fora do país. Antes de tomar uma decisão como essa, é preciso levar em conta o custo de vida na cidade de destino, para não passar por surpresas negativas. 

Em Nova York, por exemplo, um quilo de pão custa, em média, US$ 8,33. Na vizinha Buenos Aires, o brasileiro pode encontrar valores muito mais em conta: o mesmo quilo de pão sai pelo equivalente a US$ 3,91. 

As informações são de um ranking elaborado pela The Economist Intelligence Unit, que analisou o preço de 160 produtos e serviços (como comida, bebidas e transporte) em 133 regiões e, depois, comparou com a média de Nova York - cidade referência.

São Paulo e Rio de Janeiro são as cidades brasileiras que aparecem neste estudo. Elas ocupam, respectivamente, o 107° e 108° lugar na lista de cidades mais caras do mundo para se viver. O destaque é a queda em relação ao ano passado: São Paulo caiu 30 posições, enquanto o Rio desceu 26 lugares. 

Analisando apenas a América Latina, as capitais brasileiras são classificadas em 9° e 10° lugares, atrás da Cidade do México (região mais cara), Montevidéu, Cidade da Guatemala, Santiago, Lima, San José, Quito e Bogotá.

Singapura, Hong Kong e Paris, são as três cidades mais caras do mundo, empatadas em primeiro lugar no ranking. Lá, o custo de vida é 7% mais alto do que em Nova York.

O crescimento econômico do Estados Unidos em 2018 foi um dos responsáveis para a forte valorização do dólar, que fez com que 14 das 16 cidades norte-americanas analisadas subissem posições. Nova York, por exemplo, subiu seis posições, e Los Angeles subiu quatro.

O mesmo fenômeno, por outro lado, contribuiu para que lugares afetados pela desvalorização das moedas locais perante o dólar tivessem as maiores quedas no ranking. É o caso de Buenos Aires, que teve o maior recuo de todas (48 posições), e das capitais brasileiras listadas no estudo. 

Garanta sua independência financeira e viva onde quiser: abra uma conta de investimentos na XP - é de graça

Além disso, a Economist aponta que muitas cidades estão ficando mais baratas devido a impactos de ruptura política ou econômica, como Caracas (Venezuela) e Damasco (Síria).

Confira abaixo as 10 cidades mais caras e mais baratas do mundo para se morar: 

Cidades mais caras do mundo Cidades mais baratas do mundo
1. Singapura (Singapura) 1. Caracas (Venezuela)
1. Paris (França) 2. Damasco (Síria)
1. Hong Kong (China) 3. Tashkent (Uzbequistão)
4. Zurique (Suíça) 4. Almaty (Cazaquistão)
5. Genebra (Suíça) 5. Bangalore (Índia)
5. Osaka (Japão) 6. Karachi (Paquistão)
7. Seul (Coreia do Sul) 6. Lagos (Nigéria)
7. Copenhague (Dinamarca) 7. Buenos Aires (Argentina)
7. Nova York (EUA) 7. Chennai (India)
10. Tel Aviv (Israel) 8. Nova Deli (Índia)
10. Los Angeles (EUA) -

 

 

Contato