Em minhas-financas / turismo

Família é expulsa de voo da Delta após se recusar a ceder assento de bebê; assista vídeo

O passageiro envolvido denunciou o ocorrido na última quinta-feira (4) com a publicação de um vídeo que registra a discussão com os comissários de bordo durante o voo

SÃO PAULO – As confusões envolvendo passageiros e companhias aéreas continuam acontecendo: no último dia 23, uma família foi expulsa de um voo da Delta Airlines que partia do Havaí para Los Angeles por se recusar a ceder um assento – que, a princípio, foi comprado par seu filho de 18 anos, mas que era ocupado pelo bebê de um ano de idade.

O passageiro envolvido denunciou o ocorrido na última quinta-feira (4) com a publicação de um vídeo que registra a discussão com os comissários de bordo durante o voo.

Na gravação, é possível ver o pai, Brian Schear, explicando o ocorrido: que havia comprado o assento para seu filho mais velho, mas que ele acabou voando para casa mais cedo, em outro voo; por isso o filho mais novo ocupava o assento. A comissária afirma, então, que, se o passageiro não cumprisse a ordem, ele e toda a família teriam que deixar o avião.

O motivo da “expulsão” é que, de acordo com a legislação norte-americana, crianças de até dois anos não podem ocupar um assento sozinhas durante o voo; elas devem, ao contrário, voar no colo de um adulto. Além disso, era necessário que a criança deixasse o assento pois o voo estava superlotado – o conhecido overbooked – e,  já que o passageiro que havia comprado a poltrona não estava ocupando-a, era necessário fornece-la a outro passageiro.

Schear ainda tenta argumentar que havia comprado o assento e que não seria correto dá-lo para outra pessoa, mas acaba concordando em deixar o avião. Quando tenta voltar atrás, entretanto, ele é impedido pelos comissários e deixa a aeronave mesmo assim.

Em comunicado, a Delta Air Lines afirma que “já entrou em contato com os passageiros para reembolsar sua viagem e providenciar compensação adicional”, além de pedir desculpas pela “experiência infortuna” que os passageiros tiveram. “O objetivo da Delta é de sempre trabalhar com os consumidores para tentar encontrar uma solução para seus problemas de viagem. Isso não aconteceu neste caso e nós pedimos desculpas”, finalizou a aérea.

Desde o início de abril, quando o médico David Dao foi arrastado por um avião da United Airlines por se recusar a dar seu assento para um funcionário da companhia, o debate sobre o tratamento dos passageiros das aéreas tem acontecido em todo o mundo, principalmente nos EUA.

No caso da United, o passageiro de 69 anos sofreu uma contusão, quebrou o nariz e perdeu dois dentes com a agressão dos funcionários da aérea.

Assista à gravação da família sendo expulsa do avião:

 

Contato