Em minhas-financas / seguros

Gradual exclui ações da Saraiva de sua carteira semanal e troca frigoríficos

Sem revisar preços-alvo, corretora decide elevar peso dos papéis da SulAmérica e trocar Minerva por Marfrig

v class="show-for-large id-0 cm-clear float-left cm-mg-40-r cm-mg-20-b" data-show="desktop" data-widgetid="0" style="">
SÃO PAULO - A Gradual Investimentos revisou sua carteira de recomendações desta semana com a exclusão dos papéis da Saraiva e troca da Minerva pela Marfrig. A decisão baseou-se na falta de atrativos a curto prazo para a livraria e no bom resultado da Marfrig no terceiro trimestre.

Com um total de 12 ações recomendadas, a corretora também optou por aumentar o peso dos ativos da SulAmérica, passando-os de 5% para 10%, diante do anúncio de que o ING pretende se desfazer de seus negócios em seguros no mundo.

"O canal de distribuição bancária tornou-se muito importante para o negócio de seguros e uma associação da SulAmérica com um grande banco de varejo parece o desfecho óbvio da situação", explicam os analistas.

Segundo os analistas, o banco detém 21% de participação na seguradora e a família Larragoiti possui direito de preferência na aquisição destas ações.

Exclusão e troca de papéis
O time de research destaca ainda que as ações da Marfrig estão mais interessantes que a da Minerva (sua opção anterior para o segmento de frigoríficos, diante do resultado acima do esperado da primeira.

Ao mesmo tempo, a equipe da Gradual também decidiu excluir os papéis da Saraiva de sua carteira recomendada para esta semana, "pela ausência de drivers de crescimento no curto prazo", falam os analistas.

Perspectivas Ibovespa
No cenário local, a equipe de research destaca o estancamento da entrada líquida de recursos externos nos últimos pregões. Investidores estrangeiros podem estar apreensivos em relação a novas medidas que o governo brasileiro pode tomar para conter a valorização do real frente ao dólar. Na semana passada, a entrada de dólares no mercados de capitais foi taxada com IOF de 2%.

"Se por um lado as perspectivas de elevado e sustentável crescimento da economia brasileira permitem antever uma considerável valorização das ações nos próximos anos, o elevado ganho acumulado no ano torna o movimento de realização de lucros cada vez mais convidativo no curto prazo", comentam os analistas.

Além disso, na visão externa, a equipe de research fala que os investidores devem voltar sua atenção agora para a agenda econômica norte-americana, uma vez que a bolsa do país já precificou a melhora da saúde das companhias abertas dos EUA.

Com isso, o time comenta que a percepção de que a crise financeira ainda provoca estragos na economia norte-americana é um dado no mínimo perturbador para os investidores", afirmam.

Confira a carteira

Empresa Código Preço teórico Upside* Peso ajustado
Vale VALE5 R$ 42,00 6% 20%
Petrobras PETR4 R$ 44,00 22% 15%
Transmissão Paulista TRPL4 R$ 59,00 19% 5%
Copasa CSMG3 Em revisão - 5%
Marcopolo POMO4 R$ 7,50 30% 5%
Itaúsa ITSA4 Em revisão - 10%
Brookfield BISA3 R$ 12,60 85% 5%
Cremer CREM3 R$ 17,50 22% 5%
Bematech BEMA3 R$ 10,80 28% 5%
Oi TNLP4 R$ 51,00 49% 10%
Marfrig MRFG3 Em revisão - 5%
SulAmérica SULA11 Em revisão - 10%
*Potencial teórico de valorização; comparação com fechamento do dia 27 de outubro de 2009

 

Contato